Documentos necessários para a realização de transportes de mercadoria

24/ 08/ 2021

Você sabe quais são os documentos necessários para uma empresa realizar um transporte de mercadorias?

As empresas de transportes necessitam de diversos documentos para realizarem seus trabalhos. Ao transportar uma carga, o primeiro documento exigido é a Nota Fiscal (NF-e) do produto. Este documento registra exclusivamente a venda de produtos, tanto no ambiente físico quanto no digital. A NF-e registra as operações tributárias para facilitar a fiscalização das transações que envolvem a empresa, o comprador e o órgão público. Portanto, é muito importante que as informações estejam corretas e completas, especialmente o CNPJ da transportadora e, se for o caso, a declaração de que o produto é classificado como perigoso. A partir da NF-e é gerado o conhecimento de transporte, ou “DACTE” (Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico). 

O DACTE corresponde à representação física e simplificada do CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico). Por sua vez, o CT-e corresponde a um documento essencial para a regularização das atividades e operações de empresas. O Conhecimento de Transporte Eletrônico é um documento que tem sua emissão e armazenamento feitos pelo meio digital. Ao obter o CT-e uma empresa de transporte facilita a fiscalização dos seus serviços. A partir da assinatura eletrônica do emitente, o documento passa a ter validade jurídica e é recebido e autorizado pelo Fisco Federal, órgão responsável por controlar e fiscalizar o recolhimento de impostos de abrangência nacional. Este documento pode ser utilizado por empresas que transportam carga ou passageiros, tanto no meio rodoviário, aéreo, ferroviário ou aquaviário.

No DACTE encontra-se a chave numérica de acesso de 44 posições para consulta do CT-e completo. Além da chave, estão presentes nesse documento as informações tais como emitente, destinatário, valores e outros dados que possibilitem acompanhar a mercadoria em trânsito.

Outro documento importante é o MDF-e, que é o Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais. Este documento é emitido e armazenado eletronicamente, de existência apenas digital, para vincular os documentos fiscais transportados na unidade de carga utilizada, cuja validade jurídica é garantida pela assinatura digital do emitente e autorização de uso pelo Ambiente Autorizador. Em outras palavras, o MDF-e contém as informações dos CT-e’s, notas fiscais, pesos e demais informações das cargas que estão sendo transportadas. Ele registra todas as mercadorias que estão sendo transportadas em território nacional e deve acompanhar as mercadorias durante todo o transporte. 

É fundamental que as transportadoras estejam atentas às legislações em vigor, além de estarem alinhadas com as boas práticas do serviço de transporte de cargas. Manter toda a documentação necessária durante o trajeto, evita que o transporte das mercadorias corra o risco de ser autuado.

Fonte:

TOTVS, Gestão de serviços; Disponível em: <https://www.totvs.com/blog/gestao-de-servicos/o-que-significa-cte/>; Acesso em 10 de julho de 2021

DFE Manifesto Eletrônico, MDFE; Disponível em: <https://dfe-portal.svrs.rs.gov.br/Mdfe/Faq>; Acesso em 10 de julho de 2021

Conhecimento de Transporte Eletetrônico; Disponível em: <https://www.cte.fazenda.gov.br/portal/principal.aspx>; Acesso em 10 de julho de 2021

Leia Também


O que é B2B?

As expressões B2B e B2C determinam o tipo de cliente para o qual um produto ou serviço é destinado. No caso do B2B (Business to Business), as transações são feitas entre duas empresas. Ou seja, uma empresa que presta serviço ou vende algo para outra. Já o B2C (Business to Commerce) a venda é feita para o consumidor final, tendo como objetivo apenas o consumo. 

Para o modelo B2B pode-se definir como um negócio de empresa para empresa, em que uma é o fornecedor e a outra é o cliente. O principal fator que difere o que é B2B do modelo B2C está justamente no tipo de cliente que adquire o produto ou serviço. A escolha entre B2B ou B2C é de extrema importância, pois determina ainda quais serão as estratégias adotadas para estabelecer um relacionamento com os clientes e aumentar as vendas. 

Quando se trata do transporte, podemos encontrar algumas diferenças para as empresas que trabalham com um tipo de modelo ou com o outro. 

  • Os transportes em B2B geralmente ocorrem levando-se em consideração um certo nível de “urgência” para atendimento aos clientes. Isto ocorre devido a possibilidade da entrega do pedido dentro do prazo ser um requisito para que a produção do cliente não seja interrompida por falta de materiais. A modalidade business to business possui uma tendência para pedidos maiores no formato de lotação. Porém, entende-se também que o transporte de cargas fracionadas para o B2B possa ser uma modalidade interessante para que as empresas facilitem os processos de entregas, ainda mais com cargas que não ocupam todo espaço do veículo. Isso facilitará o sistema de distribuição de suas mercadorias de modo a reduzir os seus respectivos custos e mantendo-se toda a qualidade e segurança necessária. Vale lembrar que uma das mais relevantes vantagens do transporte de cargas fracionadas refere-se aos custos dos fretes nessa modalidade, que por sua vez, costumam ser mais em conta dado que os mesmos são divididos entre os clientes que estão sendo atendidos, diminuindo assim, os custos das operações.
  • Os transportes em B2C trabalham, na maioria das vezes, com cargas de pequeno porte e em maior número. Este fato torna possível o aproveitamento da melhor forma a capacidade da frota, destinando mais de um veículo para a realização das entregas. Dessa forma, os fretes podem ser diferenciados em fracionados ou enquadrados na modalidade lotação, ambos buscando a forma mais eficaz para a otimização da operação. 

Devido a estas diferenças, não podemos definir um modelo de transporte “único” que seja o ideal para cada um destes dois tipos de atendimento. No caso dos modelos B2B, em cada tipo de negócio existem particularidades relacionadas ao tipo de produto, atendimento, demanda, especificações técnicas e necessidade de reposição que deverão ser levados em consideração no momento da opção do tipo de transporte. Por sua vez, o modelo B2C, apesar de ter uma tendência para atuação com modelos de transportes fracionados, também poderá optar por transportes via lotação de acordo com as especificações do transporte a ser realizado.

A Picorelli Transportes possui foco no atendimento ao mercado B2B. Se sua empresa precisa de prazo e comprometimento, veja nossas cidades atendidas pelo nosso site e entre em contato! 

Fonte:

BSOFT, Confira o que é o modelo de distribuição B2B e suas especificações; Disponível em: https://bsoft.com.br/blog/distribuicao-b2b/Acesso em 02 de maio de 2021



2022 Picorelli Transportes. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a autorização escrita da Picorelli Transportes.