Transporte de carga terrestre: como funciona o seguro?

05/ 05/ 2020 - 12H 14 - [email protected]idia.com

Você sabe como funciona o seguro do transporte de cargas terrestre? Bom, na verdade, a contratação de um seguro de cargas é muito importante, principalmente porque garante o cumprimento da legislação, gera mais segurança e a certeza de que, caso ocorra algum prejuízo em virtude de sinistros, os valores serão ressarcidos e os danos reparados aos clientes.

Conforme os decretos nº 73/1966 e nº 61.867/1967, o seguro de responsabilidade civil do transportador rodoviário de carga (RCTR-C) é obrigatório para os transportadores.

 A lei visa manter o equilíbrio financeiro das empresas em caso de prejuízo com as cargas.

No entanto, é preciso entender quais são as modalidades do seguro e as características. E é justamente isso que este artigo vai abordar.

Acompanhe!

Quais são os tipos de seguro do transporte de carga terrestre?

Existem dois tipos de seguro do transporte de cargas terrestre: uma modalidade voltada para o comércio nacional e outra destinada ao comércio internacional.

Mas o que isso quer dizer? É simples!

Seguro Nacional

Se você deseja transportar uma carga dentro do país, vai precisar contratar um seguro de transporte de cargas terrestre nacional.

Cabe ressaltar, que dentro dessa modalidade, você tem algumas opções:

  • apólice avulsa: ou seja, uma apólice para cada viagem realizada;
  • apólice aberta: uma apólice para vários deslocamentos.

Seguro internacional

Agora, se o intuito da sua empresa é enviar um produto para fora do país, deverá contratar o seguro internacional.

Para que você fique ainda mais protegido, é importante escolher um intermodal, isto é, que cubra os diversos modais de transporte, para que a mercadoria esteja protegida durante o percurso inteiro.

Afinal, além de indenizar sinistros por perdas ou danos, este seguro pode cobrir impostos, fretes e despesas.

Responsabilidade Civil e DPVAT

Tanto o seguro de responsabilidade civil quanto o seguro DPVAT, são de contratação obrigatória em nosso país.

São eles os responsáveis por cobrir danos a terceiros por acidentes causados por culpa do motorista.

Porém, é importante salientar que eles não protegem contra avarias advindas do roubo de cargas, acondicionamento irregular dos produtos transportados ou embalagens erradas.

Quais são os danos cobertos pelo seguro?

O transporte de cargas acontece por vários meios: rodoviário, água e ar, e ambos os ambientes estão sujeitos a adversidades, por isso, é fundamental contratar um seguro, pois ele cobre danos como:

  • sinistros com as mercadorias em decorrência de colisão, tombamento, incêndio, capotagem, explosão e abalroamento;
  • roubo e furto de cargas e caminhão.

Como você sabe, esses são problemas constantes na rotina de quem realiza o transporte de cargas terrestre em nossas estradas, então é bom se precaver.

Então, por que ter um seguro?

Como já dissemos anteriormente, roubos e acidentes são comuns nas estradas do Brasil, uma vez que a segurança em todo o perímetro é bem precária. 

Nos casos de roubo, a maioria dos veículos que são localizados, são encontrados vazios. E esse já é o principal motivo pelo qual se deve ter o seguro para transportes de cargas.

Ou seja, contratar o seguro garante, pelo menos, um pouco mais de tranquilidade para o dono dos bens.

Isso porque, caso os produtos sofram algum sinistro, os proprietários contarão com a indenização que repara as perdas financeiras.

Qual o prazo para receber a indenização do seguro para cargas?

O prazo máximo para o pagamento da indenização é de 30 dias.

Porém, o período começa a ser contado somente a partir do momento em que a documentação prevista na apólice é entregue à seguradora.

Existem diferenças entre seguro de transporte de cargas e do veículo?

Esta é uma dúvida comum na hora de contratar um seguro. Porém, é importante que o consumidor entenda que o seguro do transporte de cargas terrestre protege apenas os produtos transportados.

Já para o cuidado do veículo, é preciso contratar um seguro para automóvel. 

Pois na iminência de um roubo do caminhão com cargas, caso ambos não sejam recuperados, você só receberá indenização equivalente ao que você contratou na apólice. 

Ou seja, se contratou seguro de cargas, vai receber o valor referente às cargas, mas não terá indenização em relação ao veículo.

A única forma de proteger a carga é tendo um seguro?

O seguro é fundamental, previsto em lei, é garante a indenização no caso de algum sinistro. 

No entanto, ele não é a única maneira de proteger a carga

Contratar uma transportadora com experiência no assunto, munida de equipamentos tecnológicos, sistema de monitoramento, rastreamento remoto e planejamento da rota, pode reduzir bastante as chances de extravios e avarias.

Além disso, outros aliados importantes aos recursos tecnológicos são a prudência do motorista e a manutenção da frota, que, por sinal, são fatores essenciais para diminuição de problemas e acidentes.

Por isso, antes de contratar uma transportadora para carregar seus bens, avalie se ela segue esses parâmetros listados acima.

Afinal, com todos os desafios enfrentados no transporte de mercadorias no país, é imprescindível se proteger e buscar minimizar os danos e os riscos aos quais a modalidade é expostas.

Gostou de saber quais são os tipos de seguro do transporte de cargas terrestre? Veja mais em nosso blog!

 

Leia Também


Prevenção ao coronavírus nas empresas: 1 guia para gestores

Medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas? Este é um assunto extremamente importante e que se faz necessário abordar nesse momento. 

Afinal, a chegada do coronavírus alterou a rotina de trabalho interna de trabalho de diversas companhias, que chegaram a adotar o home office e horários alternativos para limitar o trânsito nos escritórios.

No entanto, existem os casos em que o trabalho presencial é essencial, o que obriga as empresas a redobrar os cuidados e adotar regras para o contato, como uma distância mínima entre os funcionários, por exemplo.

Mas o que mais pode ser feito para evitar o avanço do coronavírus no ambiente de trabalho da sua empresa? Continue a leitura para descobrir!

Medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas: o que fazer?

Como já dissemos, por mais que a maioria das companhias tenham adotado medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas, como o trabalho remoto, certos tipos de atividades necessitam da presença humana.

É o caso do transporte de cargas, por exemplo, considerado uma atividade essencial e que necessita de pessoas para a sua execução.

Aqui na Picorelli nós temos trabalhado, sobretudo, de forma preventiva, orientando motoristas, caminhoneiros e todos os colaboradores, tanto no manuseio da carga, quanto na hora da entrega do produto.

Até porque, os órgãos de saúde já comprovaram que o ambiente de trabalho é um local com grande potencial de multiplicação do vírus, uma vez que as pessoas ficam juntas por horas, conversando umas com as outras e compartilhando documentos, equipamentos e outros materiais que podem alojar o vírus.

Diante desse cenário, fica cada vez mais evidente que as empresas precisam ter um plano para evitar que a doença se propague, com foco na orientação e disseminação das informações certas.

Então, quais medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas adotar? Confira abaixo o guia para gestores que preparamos. 

1- Oriente seus colaboradores

A principal ação para prevenção ao coronavírus nas empresas ou em qualquer lugar é a higienização frequente das mãos, seja com água e sabão ou álcool 70%. 

Disponibilize dispensadores de álcool em gel ou desinfetante para as mãos no local de trabalho e certifique-se que eles estejam abastecidos.

É importante que os empregadores estimulem a adoção de hábitos saudáveis e de prevenção  por meio de campanhas internas, como folhetos informativos com as instruções para a lavagem correta das mãos, principalmente nos banheiros, além de reforçar a importância ter cuidados ao tossir e espirrar.

Além disso, é sempre importante reforçar e verificar se os funcionários estão trabalhando seguindos as distâncias mínimas de contato.

Equipes de medicina do trabalho e gestão de pessoas também devem estar capacitadas para orientar e tirar dúvidas dos funcionários.

2- Promova a higiene respiratória

Além de orientar sobre a necessidade de manter distância, ter cuidado ao tossir e espirrar e usar máscaras, é preciso disponibilizar também lenços descartáveis em diversos locais do ambiente de trabalho para o empregado assoar o nariz ou tossir sem espalhar gotículas com vírus. 

Lixeiras com tampa precisam estar próximas aos colaboradores para jogar fora o papel adequadamente.

Cadeiras, mesas, telefones, teclados computadores e outros equipamentos precisam ser higienizados com pano e desinfetante regularmente.

3- Cuide de seus colaboradores

Funcionários com condições médicas que aumentam o risco de complicações da covid-19 merecem atenção especial. Portanto, é recomendável que eles sejam afastados ou façam trabalho remoto neste período.

Colaboradores que apresentarem os sintomas de COVID-19 devem ser orientados a procurar os serviços de saúde e não ir, em hipótese alguma, trabalhar, mesmo que seja sintomas leves.

Viagens nacionais e internacionais devem ser canceladas, Enquanto que aquelas consideradas essenciais devem passar por avaliação. Se possível, adie para outro momento ou busque uma solução digital para tratar este assunto.

Substitua reuniões físicas por videoconferências e flexibilize a escala de trabalho para evitar que os funcionários utilizem o transporte público em horário de pico.

4- Reduzir impactos

As empresas devem estudar sua operação para entender quais aspectos de sua atividade podem ser afetados pela epidemia e o que fazer para minimizar os efeitos. Por exemplo:

  • criar comitês de crise que dialoguem com todos os setores;
  • Identificar fornecedores alternativos para não interromper o funcionamento da empresa;
  • estar sempre monitorando a situação.

5- Planejar

As organizações devem traçar cenários possíveis e esboçar atitudes a serem adotadas, sempre pensando nas pessoas e na manutenção das suas operações.

Recomenda-se avaliar também as políticas para o eventual cancelamento das atividades fornecidas, como eventos e viagens programados para os próximos meses.

É importante ressaltar que qualquer atitude deve ser adotada com base nas recomendações das autoridades de saúde, mas é certo que se as ações sugeridas forem seguidos, funcionários e o negócio como um todo estará mais protegido.

Quais outras dicas de prevenção ao coronavírus nas empresas você gostaria de compartilhar conosco? Deixe um comentário.

Como realizar entregas de mercadorias durante a pandemia do coronavírus?

Como realizar entregas de mercadorias durante a pandemia com segurança? É provável que esse seja o principal desafio das empresas de transporte em tempos de isolamento social, em que o contato direto entre pessoas deve ser evitado.

Com a crescente no comércio eletrônico, que registrou, em março, aumento de 42,31% em relação ao mesmo período do ano passado, fica cada vez mais evidente que é importante encontrar medidas para lidar com o aumento da demanda, e ainda proteger funcionários, entregadores e os clientes que vão receber as mercadorias.

Então, o que fazer na hora da entrega? Quais precauções tomar para evitar a propagação do vírus? Continue a leitura para saber isso e muito mais.

Acompanhe!

Qual a situação do transporte rodoviário em meio à pandemia de Covid-19?

Em virtude da fácil disseminação do novo coronavírus, diversos estados e municípios adotaram a quarentena, visando limitar a circulação de pessoas. 

Com isso, alguns estabelecimentos comerciais tiveram de ser fechados, sendo permitida a abertura apenas para os considerados essenciais para a subsistência, como as atividades médicas e de segurança, por exemplo. 

No fim de março, o presidente Jair Bolsonaro incluiu, por meio do decreto federal nº 10.282, o serviço de transporte de carga na categoria de atividade essencial.

Até porque, o fato de estarem impossibilitadas de irem às ruas faz com que as pessoas recorram ao comércio eletrônico para comprar comida, roupas, eletrodomésticos, o que certamente está gerando um aumento massivo no número de entregas a serem feitas no país.

Diante da alta demanda oriunda, principalmente, do setor e-commerce, ​o modal rodoviário, que já é o mais utilizado no país​, se torna ainda mais essencial, para que o abastecimento de mercadorias, bem como o de insumos indispensáveis no período, como alimentos, remédios e materiais hospitalares, seja suprido.

No entanto, para continuar a​ trabalhar com segurança nas entregas de mercadoria durante a pandemia​, muitos cuidados são necessários para evitar o contágio e preservar a saúde dos profissionais que estão na linha de frente para garantir o abastecimento de toda população. 

Quais são os cuidados a serem seguidos durante o transporte das mercadorias?

As medidas mais eficazes para garantir que o transporte de mercadorias em meio à pandemia seja feito de forma segura são as mesmas para qualquer ação que visa conter o vírus. 

Lavar as mãos com água e sabão ou higienizar com álcool 70% regularmente, evitar o contato físico e utilizar máscaras de proteção são fundamentais para evitar a contaminação. 

Além disso, caminhoneiros e transportadores devem seguir outras recomendações, como, por exemplo, desinfectar constantemente objetos e superfícies tocadas com frequências.

Outros cuidados recomendados são:

  • não cumprimente pessoas com apertos de mão, abraços ou beijos. Mantenha sempre um metro de distância;
  • cubra boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogue-o no lixo;
  • evite se apoiar ou tocar em lugares sem necessidade;
  • evite contato e não fique próximo de quem está tossindo;
  • higienize as mãos a cada 30 minutos ou sempre que tocar em algo;
  • sempre que der uma parada, lave bem as mãos com água e sabão. Esfregue bem entre os dedos e lave até os punhos;
  • após usar o banheiro, lave bem as mãos, use papel-toalha ou o cotovelo para tocar na maçaneta e abrir a porta;
  • higienize bem o volante, o câmbio, o freio de mão e o painel do caminhão;
  • se possível, utilize talheres e pratos descartáveis ou tenha seus próprios utensílios para fazer refeições na estrada;
  • nunca compartilhe suas toalhas, sejam elas de banho ou de rosto.

Como realizar entregas de mercadorias durante a pandemia do coronavírus?

Os órgãos sanitários já determinaram que o isolamento social é a maneira mais eficiente para combater o contágio. 

Pensando nisso, as empresas do setor de transporte estão ajustando a operação de entregas de mercadoria durante a pandemia, visando reduzir ao máximo o contato entre as pessoas.

Abaixo, listamos algumas práticas a serem adotadas pelos entregadores ao entregar um produto:

  • evite contato físico com o cliente;
  • mantenha, pelo menos, um metro de distância da outra pessoa;
  • evite levar a mão ao rosto entre uma entrega e outra.
  • sempre higienize as mãos antes e depois de realizar as entregas.
  • não compartilhe objetos pessoais. Oriente o cliente a assinar o recibo com a sua própria caneta;
  • lembre ao consumidor sobre a importância de limpar as embalagens antes de utilizar os produtos.

Gostou das dicas de entregas de mercadoria durante a pandemia? Veja como a Picorelli Transportes pode te ajudar neste momento. 

 

 

 

 

 

 



2020 Picorelli Transportes. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a autorização escrita da Picorelli Transportes.

Desenvolvido por