Conheça os principais tipos de transporte de cargas

09/ 08/ 2019

De acordo com a pesquisa Custos Logísticos no Brasil, da Fundação Dom Cabral, 75% das mercadorias no país têm seu escoamento feito pela malha rodoviária.

Consequentemente, o transporte rodoviário é importante para a economia brasileira, pois transporta diariamente inúmeras cargas pelas estradas e rodovias do país. Este serviço de transporte é significativo para a logística das indústrias e empresas, que buscam sempre novos meios de conhecimento para elaborar a melhor estratégia de locomobilidade. 

Elencamos abaixo os principais tipos de cargas mais recorrentes nas estradas do país para sabermos um pouco melhor o que é transportado.

Tipos de transporte de cargas

Cargas secas

São produtos industrializados e não perecíveis. A transportação pode ser feita em qualquer estação ou clima. Alguns exemplos são:

– Encanamentos

-Madeira

-Ferragens

-Produtos alimentícios

-Materiais para construção

-Entre outros

Para este tipo de carga, normalmente, é utilizada a carroceria baú, já que ela é adequada para transportar caixas, sacas, fardos, embalagens e outros.

Cargas frigoríficas 

As cargas frigoríficas são subdivididas em duas categorias: a perecível e a congelada.

Perecível

Este tipo de carga está exposta ao risco de danificar pois passa por um processo de redução da temperatura e por causa da distância. Pensando nisso, é um produto sensível que deve ter uma logística de transporte bem programada, visando assegurar a qualidade e evitando riscos à saúde. 

-Verduras

-Legumes

-Frutas

Para levar estes produtos o indicado é a carroceria baú refrigerado.

Congelada

Carregar produtos congelados precisa ter muito cuidado, porque é necessário estar atento a temperatura para garantir a sua durabilidade e congelamento durante o caminho, e também assegurar o congelamento até o destino final. Geralmente são produtos como:

-Carnes

-Frangos

-Peixes

-Alimentos congelados em geral

O modelo ideal para este tipo de carga é o baú frigorífico que contém refrigeração de -15°C a -20°C graus. 

Cargas a granel 

Assim como a carga frigorífica, a carga a granel também é dividida em duas categorias. A primeira é a sólida.

Granel sólido

Em sua grande maioria é composta por matéria-primas. Algumas delas são:

-Feijão

-Soja

-Cereais

Truck e a Carreta (cavalo simples ou LS), Bitrem e Rodotrem são tipos de caminhões utilizados para transportar essa carga. O modelo pode ser aberto, graneleiro ou grande alta. Outra possibilidade é o uso de containers, porém no modelo  fechado.

Granel líquido

Já este produto, como o próprio nome sugere, é líquido, e corresponde a:

-Sucos

-Águas

-Refrigerante

-Entre outros produtos líquidos

Essa mercadoria deve ser manuseada em caminhões específicos porque há necessidade de uma carroceria com um tanque higienizado e de aço. 

Cargas perigosas

São denominadas cargas perigosas aquelas que representam riscos à saúde das pessoas, ao meio ambiente ou à segurança pública. Para atuar com esse tipo de transporte é necessário ter caminhões preparados para o produto específico. Além disso, o veículo deve apresentar símbolos que sinalizem a classificação do risco. Olha os produtos que entram nessa categoria:

-Gás natural

-Petróleo

-Explosivos

-Sólidos inflamáveis

-Materiais corrosivos

Cargas vivas

Outra carga encontrada com facilidade nas rodovias brasileiras são as cargas vivas. Geralmente são animais, como galinhas, porcos, vacas, cavalos e entre outros.

 Por se tratar de uma carga bem específica requer muita atenção do motorista já que está a carregar animais vivos . 

Para este translado o indicado é o uso de carrocerias fechadas como a boiadeira, este tipo de transporte possui algumas entradas de ar, assim garante que o animal tenha uma boa ventilação.

Cargas frágeis

As cargas frágeis são aquelas consideráveis sensíveis, delicadas e com facilidade de quebrar. São elas:

-Vidros

-Cristais

-Louças

-Espelho

Os objetos para serem transportados precisam ser embrulhados para que os proteja, e, preferencialmente, colocados em caixas. Também é importante etiquetar com sinalizadores nas caixas que indiquem conteúdo frágil. 

Cargas indivisíveis e excepcionais de grande porte

Aqui são carregamentos de grande porte, assim como o próprio nome diz.  São peças que possuem estrutura maiores do que o exigido pelo código de trânsito brasileiro. Ou seja: 

-Vagões

-Transformadores

-Guindastes

-Máquinas de uso industrial e agrícolas

O manuseio da carga é delicado principalmente no carregamento e descarregamento. Por isso a necessidade de veículos especiais na estrutura, dimensão, suspensão e direção para cada tipo de produto.  

Precisa fazer uma entrega? Então confia em quem faz isso há 88 anos com eficiência. Confira todas os perfis de cargas que a Picorelli transporta e faça uma cotação online

Leia Também


Você sabe o que é cubagem e como calcular?

No Brasil existem diversos tipos de veículos de transportes de cargas, desde veículos urbanos (VUC), até caminhões de grande porte. Porém, para gerar mais proteção para os motoristas, pedestres e para as cargas, o CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) determinou a capacidade máxima que cada veículo pode transportar.  Essa limitação de peso, bem como o espaço físico disponível nos veículos, torna-se um dos grandes desafios das transportadoras na atualidade. Existem diversos casos em que há mercadorias volumosas e com pouco peso, e, aquelas que são menores, porém pesadas. Encontrar o “ponto ótimo” de carga da   frota é uma atividade muitas vezes complexa. Para auxiliar a encontrar este ponto ideal, podemos elucidar o processo de CUBAGEM das cargas. A cubagem é fundamental para identificar qual a capacidade disponível em um veículo e, ao mesmo tempo, quais são suas limitações em peso e volume.

O objetivo principal do processo de cubagem é conseguir planejar melhor a etapa de carregamento, considerando pontos essenciais para evitar que o veículo seja carregado com uma carga muito volumosa, mas de baixo peso ou que se tenha muitos volumes pequenos, mas muito pesados. Nestes casos, você estaria desperdiçando a capacidade de carga (peso) do veículo ou mesmo deixando de aproveitar um espaço (volume) considerável dentro dele.

Além disso, a cubagem é uma ferramenta muito importante para a composição do valor do frete. Um dos principais componentes de precificação é o peso da mercadoria. Porém, quando uma mercadoria for muito leve e ocupa um espaço muito grande, se o preço cobrado for somente através do peso, o valor do frete poderia não compensar para a transportadora, pois essa carga ocuparia um espaço onde  poderiam ser alocadas diversas outras mercadorias mais pesadas, e, consequentemente com maior valor de frete. Por isso, a cubagem é uma ferramenta muito importante para ajudar a resolver este tipo de problema, por exemplo. Através dela é possível converter o espaço ocupado por uma mercadoria em peso.

Mas como calcular a cubagem de cargas?
Para chegar no valor ideal da sua cubagem de cargas, é necessário realizar um cálculo matemático utilizando o “fator de cubagem”.

O “Fator de Cubagem” é o termo que denomina  um valor e que ao ser multiplicado pelo volume da carga, resulta no peso cubado – que é a transformação do espaço ocupado por uma mercadoria em kg.

 Ainda não ficou muito claro? Então vamos exemplificar:

Supondo que você queira determinar o fator de cubagem de uma carreta que tenha capacidade de 30 toneladas, com um baú de 100m³, o fator de cubagem se daria pela seguinte fórmula:

* Fator de Cubagem = Peso (kg) / Volume (m³)

No nosso exemplo, o Fator de Cubagem = 30.000 (kg) / 100(m³), resultando em 300kg por m³.

Ok, mas o que isso significa? Significa que cada m³ do seu caminhão equivale a 300kg.

Dessa forma, ao chegar uma mercadoria volumosa e leve, podemos converter o espaço que ela ocupa em peso.

Este fator de 300km/m³ é o padrão utilizado no transporte rodoviário de cargas.

Ainda confuso? Vamos para mais um exemplo então.

Mas antes disso, é importante definirmos um conceito fundamental: O cálculo do volume. O volume nada mais é do que a Largura (m) x Altura (m) x Comprimento (m). Sugiro inserir a imagem da caixa, para exemplificar. Conforme fizemos no post e e-mail).

Agora sim podemos ir para o nosso exemplo. Supondo que seja necessário transportar uma mercadoria que o peso na balança é de 400kg. Porém, ela tem as seguintes dimensões: 

  • Altura: 1m 
  • Largura 1m
  • Altura: 2m 

Como vimos anteriormente, o cálculo do volume se dará por 1m x1m x 2m, resultando em 2m³. 

Sabendo que cada m³ de espaço do seu caminhão equivale a 300kg, logo, chegamos à conclusão que essa carga teria um peso cubado de 600kg.

De forma matemática, podemos descrever o peso cubado como sendo:

Peso Cubado = Volume (m³) x Fator de Cubagem (kg/m³)

Observe que o peso cubado da mercadoria é maior do que o seu peso real. Porém, nem sempre isso irá ocorrer, como é o caso de caixas com papel.

* Um ponto de atenção é na observação das unidades de medida do volume. É necessário verificar se as unidades do peso (gramas, quilos ou toneladas) e das dimensões (centímetros ou metros) estão todas em conformidade antes do cálculo ser realizado. 

Vale lembrar que será possível empregar o fator de cubagem, tanto no transporte de carga lotação, quanto no transporte de carga fracionada. 

Financeiramente falando, a cubagem e o peso cubado são variáveis fundamentais no cálculo dos custos de transporte de uma empresa. O que determina a aplicação no cálculo do frete é o tipo de produto que será transportado. Para efeito da composição do frete, será utilizado o maior valor encontrado entre o Peso Real e o Peso cubado. Além disso, vale lembrar que cada modal possui um fator de cubagem diferente, dada a diferença da capacidade de carga de cada meio (rodoviário, aéreo, marítimo, etc). Os mais comuns no meio rodoviário são de 1m³ = 300kg.

A Picorelli Transportes está há 90 anos no mercado, sendo especializada no transporte de cargas fracionadas, urgentes e lotação. Possuímos uma frota diversificada, atendendo aos mais variados tipos de mercadorias.



2021 Picorelli Transportes. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a autorização escrita da Picorelli Transportes.