Dicas de segurança para caminhoneiros durante a pandemia da COVID-19

10/ 04/ 2020

O fato de passar a maior parte do dia sozinho na cabine do caminhão não torna o caminhoneiro imune ao coronavírus. Durante as parada, seja para carregar, descarregar, comer, abastecer ou ir no banheiro, as chances de contágio são grandes. Por isso, é importante seguir medidas de segurança para caminhoneiros durante a pandemia.

Ainda mais que, na maioria das vezes, a estrutura oferecida para os estradeiros é precária

Diante desse cenário, garantir a própria higiene e proteção se torna uma tarefa bem difícil.

Foi pensando nisso que elaboramos esse material. Aqui você vai ter informações sobre:

  • como prevenir o coronavírus;
  • sintomas;
  • o que fazer se ficar doente durante uma viagem;
  • quais estabelecimentos estão funcionando nas estradas.

Continue lendo para saber mais!

Quais são as medidas de segurança para caminhoneiros durante a pandemia?

A mais importante medida de segurança para caminhoneiros durante a pandemia continua sendo a mesma para todas as situações: lave as mãos!

Sempre que parar em um local que possua uma pia, procure lavar as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Esfregue as palmas, entre os dedos e nas pontas, debaixo das unhas e nos punhos.

Um outro aliado caso não tenha água e sabão é o álcool em gel. 

Mantê-lo no caminhão e usar sempre antes e depois de contatos externos com clientes e pessoas é muito importante para evitar o contágio. 

Evite o contato físico

Embora manter a cordialidade e a educação seja de extrema importância, esse não é o momento ideal para o contato físico, e certamente as pessoas entenderão caso você não as cumprimente como de costume.

Como forma de segurança para caminhoneiros durante a pandemia, evite apertos de mãos, abraços ou beijos nesse período, e mantenha um metro de distância.

Fique longe de pessoas tossindo e, nesses casos, se possível, oriente que elas usem máscaras

Afinal, a distância é sua aliada durante as operações.

Higienize seu veículo

Higienizar o ambiente faz parte das dicas de segurança para caminhoneiros durante a pandemia. Por isso, desinfete as superfícies do veículo tocadas frequentemente, como o volante, o câmbio, o freio de mão e o painel do seu caminhão. 

Para isso, use água e sabão ou álcool que tenha concentração superior a 70%.

Não compartilhe o telefone

Se você utiliza o celular para colher a assinatura do cliente no momento da entrega, evite compartilhá-lo.

Preencha você mesmo com o nome completo e documento do recebedor da entrega e as demais informações, e limpe seu celular com álcool em gel antes e depois de cada operação.

Cuidado ao se alimentar nos restaurantes

Utilize talheres e pratos descartáveis ou tenha seus próprios utensílios para fazer refeições na estrada. 

Isso porque o coronavírus também passa pela saliva. Se os pratos e talheres não estiverem bem lavados, podem aumentar o risco de contágio.

Atenção com os banheiros

Você não precisa deixar de usar os banheiros dos postos. 

Pode tomar banho e utilizar o sanitário tranquilo, desde que lave as mãos adequadamente após colocá-las em torneiras, na própria tampa do vaso ou em qualquer outra superfície.

Use papel-toalha ou o cotovelo para tocar na maçaneta e abrir a porta.

Não se esqueça, nunca compartilhe suas toalhas, sejam elas de banho ou de rosto.

Sua saúde também é importante!

Além de seguir as dicas de higiene, que são fundamentais como segurança para caminhoneiros durante a pandemiavocê também deve manter a saúde em dia. 

Controle a diabetes, hipertensão ou outras doenças crônicas, pois a maior parte das mortes ou internações causadas pelo coronavírus está relacionada a doenças pré-existentes e à idade do paciente.

O que devo fazer se apresentar sintomas durante uma viagem?

Caso você apresente sintomas leves, como tosse, febre baixa, dor no corpo, que são parecidos com um resfriado ou gripe, e mesmo assim você estiver se sentindo bem, informe à empresa ou transportadora o quanto antes, e fique em casa.

Nesse caso, não é preciso procurar atendimento de saúde, mas é importante ficar de repouso, lembrando sempre de observar a evolução dos sintomas.

Porém, se esses sintomas brandos se manifestarem enquanto estiver em viagem, use máscara.

Mas se a febre aumentar e você tiver desconforto respiratório, cansaço extremo e os batimentos do coração acelerarem, aí é hora de procurar um médico. 

Quais são os sintomas do coronavírus?

Os sintomas do coronavírus podem ser facilmente confundidos com os de uma gripe ou resfriado

Em geral, eles são leves e se manifestam como febre, cansaço e tosse seca

Alguns pacientes também podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarréia

Ainda existe a situação em que as pessoas são infectadas, mas não chegam desenvolver sinais da doença.

Entretanto, pessoas idosas ou com doenças crônicos, como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver problemas graves, como:

  • dificuldade para respirar;
  • falta de ar;
  • insuficiência pulmonar;
  • choque séptico; 
  • falência de órgãos.

Se não tiverem acompanhamento médico correto, tais condições podem levar à morte.

O coronavírus tem impactado o funcionamento de postos, restaurantes ou borracharias?

O coronavírus vem modificando o funcionamento de muitos serviços, ocasionando o fechamento de diversos estabelecimentos.

Na maioria dos casos, a suspensão acontece por decretos municipais que visam limitar o trânsito de pessoas e evitar a propagação do vírus.

Dados da plataforma Repom, pertencente à Edenred, mostram que em um universo de mais de 5 mil estabelecimentos de alimentação localizados em rodovias nos 27 Estados brasileiros, 68% deles permanecem funcionando.

Em relação às lojas de conveniência, 65% delas operam normalmente nas estradas.

Enquanto isso, 97% dos postos de combustível mantêm disponível a estrutura para higiene aos caminhoneiros, com banheiros e chuveiros abertos ao público.

A Repom foi desenvolvida justamente para disponibilizar informações essenciais para os cerca de 2 milhões de caminhoneiros que atuam no Brasil neste momento de crise do coronavírus.

Por meio dela, é possível saber, em tempo real, quais e onde esses serviços estão funcionando. Acesse aqui

O governo federal, por meio do Ministério da Infraestrutura e o Serpro – Serviço Federal de Processamento de Dados, também conta com um aplicativo importante para os caminhoneiros.

O InfraBr disponibiliza informações sobre o funcionamento de serviços essenciais nas rodovias. 

Além disso, também é possível saber onde estão localizados postos de atendimento de distribuição de kits de higiene e de alimentação.

Disponível gratuitamente no App Store e no Google Play, o InfraBR já conta com as novas atualizações na aba “Coronavírus”. 

Para quem preferir acessar pelo computador, o aplicativo também está disponível no site do Ministério da Infraestrutura.

O coronavírus tem impactado o funcionamento da Picorelli Transportes?

A Picorelli está funcionando com equipes reduzidas, tendo em vista a pandemia. Porém, estamos atentos e atendendo as orientações do Ministério da Saúde e disponibilizando para os colaboradores máscaras, álcool, informativos e ações de conscientização. 

Caso precise de apoio com entrega ou coleta, veja os contatos de nossas filiais aqui! Estamos fazendo o possível para atender às demandas, no entanto temos dificuldades de rotas, circulação e acesso em diversas cidades. 

O momento exige precaução e cautela às determinações nos Estados onde atuamos e seus municípios. Portanto, podem haver atrasos em nossos prazos de entrega.  

Agradecemos a compreensão de todos.

Gostou das dicas de segurança para caminhoneiros durante a pandemia da COVID-19? Deixe uma mensagem para nós!

 

Leia Também


Você sabe o que é cubagem e como calcular?

No Brasil existem diversos tipos de veículos de transportes de cargas, desde veículos urbanos (VUC), até caminhões de grande porte. Porém, para gerar mais proteção para os motoristas, pedestres e para as cargas, o CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) determinou a capacidade máxima que cada veículo pode transportar.  Essa limitação de peso, bem como o espaço físico disponível nos veículos, torna-se um dos grandes desafios das transportadoras na atualidade. Existem diversos casos em que há mercadorias volumosas e com pouco peso, e, aquelas que são menores, porém pesadas. Encontrar o “ponto ótimo” de carga da   frota é uma atividade muitas vezes complexa. Para auxiliar a encontrar este ponto ideal, podemos elucidar o processo de CUBAGEM das cargas. A cubagem é fundamental para identificar qual a capacidade disponível em um veículo e, ao mesmo tempo, quais são suas limitações em peso e volume.

O objetivo principal do processo de cubagem é conseguir planejar melhor a etapa de carregamento, considerando pontos essenciais para evitar que o veículo seja carregado com uma carga muito volumosa, mas de baixo peso ou que se tenha muitos volumes pequenos, mas muito pesados. Nestes casos, você estaria desperdiçando a capacidade de carga (peso) do veículo ou mesmo deixando de aproveitar um espaço (volume) considerável dentro dele.

Além disso, a cubagem é uma ferramenta muito importante para a composição do valor do frete. Um dos principais componentes de precificação é o peso da mercadoria. Porém, quando uma mercadoria for muito leve e ocupa um espaço muito grande, se o preço cobrado for somente através do peso, o valor do frete poderia não compensar para a transportadora, pois essa carga ocuparia um espaço onde  poderiam ser alocadas diversas outras mercadorias mais pesadas, e, consequentemente com maior valor de frete. Por isso, a cubagem é uma ferramenta muito importante para ajudar a resolver este tipo de problema, por exemplo. Através dela é possível converter o espaço ocupado por uma mercadoria em peso.

Mas como calcular a cubagem de cargas?
Para chegar no valor ideal da sua cubagem de cargas, é necessário realizar um cálculo matemático utilizando o “fator de cubagem”.

O “Fator de Cubagem” é o termo que denomina  um valor e que ao ser multiplicado pelo volume da carga, resulta no peso cubado – que é a transformação do espaço ocupado por uma mercadoria em kg.

 Ainda não ficou muito claro? Então vamos exemplificar:

Supondo que você queira determinar o fator de cubagem de uma carreta que tenha capacidade de 30 toneladas, com um baú de 100m³, o fator de cubagem se daria pela seguinte fórmula:

* Fator de Cubagem = Peso (kg) / Volume (m³)

No nosso exemplo, o Fator de Cubagem = 30.000 (kg) / 100(m³), resultando em 300kg por m³.

Ok, mas o que isso significa? Significa que cada m³ do seu caminhão equivale a 300kg.

Dessa forma, ao chegar uma mercadoria volumosa e leve, podemos converter o espaço que ela ocupa em peso.

Este fator de 300km/m³ é o padrão utilizado no transporte rodoviário de cargas.

Ainda confuso? Vamos para mais um exemplo então.

Mas antes disso, é importante definirmos um conceito fundamental: O cálculo do volume. O volume nada mais é do que a Largura (m) x Altura (m) x Comprimento (m). Sugiro inserir a imagem da caixa, para exemplificar. Conforme fizemos no post e e-mail).

Agora sim podemos ir para o nosso exemplo. Supondo que seja necessário transportar uma mercadoria que o peso na balança é de 400kg. Porém, ela tem as seguintes dimensões: 

  • Altura: 1m 
  • Largura 1m
  • Altura: 2m 

Como vimos anteriormente, o cálculo do volume se dará por 1m x1m x 2m, resultando em 2m³. 

Sabendo que cada m³ de espaço do seu caminhão equivale a 300kg, logo, chegamos à conclusão que essa carga teria um peso cubado de 600kg.

De forma matemática, podemos descrever o peso cubado como sendo:

Peso Cubado = Volume (m³) x Fator de Cubagem (kg/m³)

Observe que o peso cubado da mercadoria é maior do que o seu peso real. Porém, nem sempre isso irá ocorrer, como é o caso de caixas com papel.

* Um ponto de atenção é na observação das unidades de medida do volume. É necessário verificar se as unidades do peso (gramas, quilos ou toneladas) e das dimensões (centímetros ou metros) estão todas em conformidade antes do cálculo ser realizado. 

Vale lembrar que será possível empregar o fator de cubagem, tanto no transporte de carga lotação, quanto no transporte de carga fracionada. 

Financeiramente falando, a cubagem e o peso cubado são variáveis fundamentais no cálculo dos custos de transporte de uma empresa. O que determina a aplicação no cálculo do frete é o tipo de produto que será transportado. Para efeito da composição do frete, será utilizado o maior valor encontrado entre o Peso Real e o Peso cubado. Além disso, vale lembrar que cada modal possui um fator de cubagem diferente, dada a diferença da capacidade de carga de cada meio (rodoviário, aéreo, marítimo, etc). Os mais comuns no meio rodoviário são de 1m³ = 300kg.

A Picorelli Transportes está há 90 anos no mercado, sendo especializada no transporte de cargas fracionadas, urgentes e lotação. Possuímos uma frota diversificada, atendendo aos mais variados tipos de mercadorias.



2021 Picorelli Transportes. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a autorização escrita da Picorelli Transportes.