Prevenção ao coronavírus nas empresas: 1 guia para gestores

26/ 05/ 2020

Medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas? Este é um assunto extremamente importante e que se faz necessário abordar nesse momento. 

Afinal, a chegada do coronavírus alterou a rotina de trabalho interna de trabalho de diversas companhias, que chegaram a adotar o home office e horários alternativos para limitar o trânsito nos escritórios.

No entanto, existem os casos em que o trabalho presencial é essencial, o que obriga as empresas a redobrar os cuidados e adotar regras para o contato, como uma distância mínima entre os funcionários, por exemplo.

Mas o que mais pode ser feito para evitar o avanço do coronavírus no ambiente de trabalho da sua empresa? Continue a leitura para descobrir!

Medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas: o que fazer?

Como já dissemos, por mais que a maioria das companhias tenham adotado medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas, como o trabalho remoto, certos tipos de atividades necessitam da presença humana.

É o caso do transporte de cargas, por exemplo, considerado uma atividade essencial e que necessita de pessoas para a sua execução.

Aqui na Picorelli nós temos trabalhado, sobretudo, de forma preventiva, orientando motoristas, caminhoneiros e todos os colaboradores, tanto no manuseio da carga, quanto na hora da entrega do produto.

Até porque, os órgãos de saúde já comprovaram que o ambiente de trabalho é um local com grande potencial de multiplicação do vírus, uma vez que as pessoas ficam juntas por horas, conversando umas com as outras e compartilhando documentos, equipamentos e outros materiais que podem alojar o vírus.

Diante desse cenário, fica cada vez mais evidente que as empresas precisam ter um plano para evitar que a doença se propague, com foco na orientação e disseminação das informações certas.

Então, quais medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas adotar? Confira abaixo o guia para gestores que preparamos. 

1- Oriente seus colaboradores

A principal ação para prevenção ao coronavírus nas empresas ou em qualquer lugar é a higienização frequente das mãos, seja com água e sabão ou álcool 70%. 

Disponibilize dispensadores de álcool em gel ou desinfetante para as mãos no local de trabalho e certifique-se que eles estejam abastecidos.

É importante que os empregadores estimulem a adoção de hábitos saudáveis e de prevenção  por meio de campanhas internas, como folhetos informativos com as instruções para a lavagem correta das mãos, principalmente nos banheiros, além de reforçar a importância ter cuidados ao tossir e espirrar.

Além disso, é sempre importante reforçar e verificar se os funcionários estão trabalhando seguindos as distâncias mínimas de contato.

Equipes de medicina do trabalho e gestão de pessoas também devem estar capacitadas para orientar e tirar dúvidas dos funcionários.

2- Promova a higiene respiratória

Além de orientar sobre a necessidade de manter distância, ter cuidado ao tossir e espirrar e usar máscaras, é preciso disponibilizar também lenços descartáveis em diversos locais do ambiente de trabalho para o empregado assoar o nariz ou tossir sem espalhar gotículas com vírus. 

Lixeiras com tampa precisam estar próximas aos colaboradores para jogar fora o papel adequadamente.

Cadeiras, mesas, telefones, teclados computadores e outros equipamentos precisam ser higienizados com pano e desinfetante regularmente.

3- Cuide de seus colaboradores

Funcionários com condições médicas que aumentam o risco de complicações da covid-19 merecem atenção especial. Portanto, é recomendável que eles sejam afastados ou façam trabalho remoto neste período.

Colaboradores que apresentarem os sintomas de COVID-19 devem ser orientados a procurar os serviços de saúde e não ir, em hipótese alguma, trabalhar, mesmo que seja sintomas leves.

Viagens nacionais e internacionais devem ser canceladas, Enquanto que aquelas consideradas essenciais devem passar por avaliação. Se possível, adie para outro momento ou busque uma solução digital para tratar este assunto.

Substitua reuniões físicas por videoconferências e flexibilize a escala de trabalho para evitar que os funcionários utilizem o transporte público em horário de pico.

4- Reduzir impactos

As empresas devem estudar sua operação para entender quais aspectos de sua atividade podem ser afetados pela epidemia e o que fazer para minimizar os efeitos. Por exemplo:

  • criar comitês de crise que dialoguem com todos os setores;
  • Identificar fornecedores alternativos para não interromper o funcionamento da empresa;
  • estar sempre monitorando a situação.

5- Planejar

As organizações devem traçar cenários possíveis e esboçar atitudes a serem adotadas, sempre pensando nas pessoas e na manutenção das suas operações.

Recomenda-se avaliar também as políticas para o eventual cancelamento das atividades fornecidas, como eventos e viagens programados para os próximos meses.

É importante ressaltar que qualquer atitude deve ser adotada com base nas recomendações das autoridades de saúde, mas é certo que se as ações sugeridas forem seguidos, funcionários e o negócio como um todo estará mais protegido.

Quais outras dicas de prevenção ao coronavírus nas empresas você gostaria de compartilhar conosco? Deixe um comentário.

Leia Também


O que é B2B?

As expressões B2B e B2C determinam o tipo de cliente para o qual um produto ou serviço é destinado. No caso do B2B (Business to Business), as transações são feitas entre duas empresas. Ou seja, uma empresa que presta serviço ou vende algo para outra. Já o B2C (Business to Commerce) a venda é feita para o consumidor final, tendo como objetivo apenas o consumo. 

Para o modelo B2B pode-se definir como um negócio de empresa para empresa, em que uma é o fornecedor e a outra é o cliente. O principal fator que difere o que é B2B do modelo B2C está justamente no tipo de cliente que adquire o produto ou serviço. A escolha entre B2B ou B2C é de extrema importância, pois determina ainda quais serão as estratégias adotadas para estabelecer um relacionamento com os clientes e aumentar as vendas. 

Quando se trata do transporte, podemos encontrar algumas diferenças para as empresas que trabalham com um tipo de modelo ou com o outro. 

  • Os transportes em B2B geralmente ocorrem levando-se em consideração um certo nível de “urgência” para atendimento aos clientes. Isto ocorre devido a possibilidade da entrega do pedido dentro do prazo ser um requisito para que a produção do cliente não seja interrompida por falta de materiais. A modalidade business to business possui uma tendência para pedidos maiores no formato de lotação. Porém, entende-se também que o transporte de cargas fracionadas para o B2B possa ser uma modalidade interessante para que as empresas facilitem os processos de entregas, ainda mais com cargas que não ocupam todo espaço do veículo. Isso facilitará o sistema de distribuição de suas mercadorias de modo a reduzir os seus respectivos custos e mantendo-se toda a qualidade e segurança necessária. Vale lembrar que uma das mais relevantes vantagens do transporte de cargas fracionadas refere-se aos custos dos fretes nessa modalidade, que por sua vez, costumam ser mais em conta dado que os mesmos são divididos entre os clientes que estão sendo atendidos, diminuindo assim, os custos das operações.
  • Os transportes em B2C trabalham, na maioria das vezes, com cargas de pequeno porte e em maior número. Este fato torna possível o aproveitamento da melhor forma a capacidade da frota, destinando mais de um veículo para a realização das entregas. Dessa forma, os fretes podem ser diferenciados em fracionados ou enquadrados na modalidade lotação, ambos buscando a forma mais eficaz para a otimização da operação. 

Devido a estas diferenças, não podemos definir um modelo de transporte “único” que seja o ideal para cada um destes dois tipos de atendimento. No caso dos modelos B2B, em cada tipo de negócio existem particularidades relacionadas ao tipo de produto, atendimento, demanda, especificações técnicas e necessidade de reposição que deverão ser levados em consideração no momento da opção do tipo de transporte. Por sua vez, o modelo B2C, apesar de ter uma tendência para atuação com modelos de transportes fracionados, também poderá optar por transportes via lotação de acordo com as especificações do transporte a ser realizado.

A Picorelli Transportes possui foco no atendimento ao mercado B2B. Se sua empresa precisa de prazo e comprometimento, veja nossas cidades atendidas pelo nosso site e entre em contato! 

Fonte:

BSOFT, Confira o que é o modelo de distribuição B2B e suas especificações; Disponível em: https://bsoft.com.br/blog/distribuicao-b2b/Acesso em 02 de maio de 2021



2021 Picorelli Transportes. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a autorização escrita da Picorelli Transportes.