Prevenção ao coronavírus nas empresas: 1 guia para gestores

26/ 05/ 2020

Medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas? Este é um assunto extremamente importante e que se faz necessário abordar nesse momento. 

Afinal, a chegada do coronavírus alterou a rotina de trabalho interna de trabalho de diversas companhias, que chegaram a adotar o home office e horários alternativos para limitar o trânsito nos escritórios.

No entanto, existem os casos em que o trabalho presencial é essencial, o que obriga as empresas a redobrar os cuidados e adotar regras para o contato, como uma distância mínima entre os funcionários, por exemplo.

Mas o que mais pode ser feito para evitar o avanço do coronavírus no ambiente de trabalho da sua empresa? Continue a leitura para descobrir!

Medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas: o que fazer?

Como já dissemos, por mais que a maioria das companhias tenham adotado medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas, como o trabalho remoto, certos tipos de atividades necessitam da presença humana.

É o caso do transporte de cargas, por exemplo, considerado uma atividade essencial e que necessita de pessoas para a sua execução.

Aqui na Picorelli nós temos trabalhado, sobretudo, de forma preventiva, orientando motoristas, caminhoneiros e todos os colaboradores, tanto no manuseio da carga, quanto na hora da entrega do produto.

Até porque, os órgãos de saúde já comprovaram que o ambiente de trabalho é um local com grande potencial de multiplicação do vírus, uma vez que as pessoas ficam juntas por horas, conversando umas com as outras e compartilhando documentos, equipamentos e outros materiais que podem alojar o vírus.

Diante desse cenário, fica cada vez mais evidente que as empresas precisam ter um plano para evitar que a doença se propague, com foco na orientação e disseminação das informações certas.

Então, quais medidas de prevenção ao coronavírus nas empresas adotar? Confira abaixo o guia para gestores que preparamos. 

1- Oriente seus colaboradores

A principal ação para prevenção ao coronavírus nas empresas ou em qualquer lugar é a higienização frequente das mãos, seja com água e sabão ou álcool 70%. 

Disponibilize dispensadores de álcool em gel ou desinfetante para as mãos no local de trabalho e certifique-se que eles estejam abastecidos.

É importante que os empregadores estimulem a adoção de hábitos saudáveis e de prevenção  por meio de campanhas internas, como folhetos informativos com as instruções para a lavagem correta das mãos, principalmente nos banheiros, além de reforçar a importância ter cuidados ao tossir e espirrar.

Além disso, é sempre importante reforçar e verificar se os funcionários estão trabalhando seguindos as distâncias mínimas de contato.

Equipes de medicina do trabalho e gestão de pessoas também devem estar capacitadas para orientar e tirar dúvidas dos funcionários.

2- Promova a higiene respiratória

Além de orientar sobre a necessidade de manter distância, ter cuidado ao tossir e espirrar e usar máscaras, é preciso disponibilizar também lenços descartáveis em diversos locais do ambiente de trabalho para o empregado assoar o nariz ou tossir sem espalhar gotículas com vírus. 

Lixeiras com tampa precisam estar próximas aos colaboradores para jogar fora o papel adequadamente.

Cadeiras, mesas, telefones, teclados computadores e outros equipamentos precisam ser higienizados com pano e desinfetante regularmente.

3- Cuide de seus colaboradores

Funcionários com condições médicas que aumentam o risco de complicações da covid-19 merecem atenção especial. Portanto, é recomendável que eles sejam afastados ou façam trabalho remoto neste período.

Colaboradores que apresentarem os sintomas de COVID-19 devem ser orientados a procurar os serviços de saúde e não ir, em hipótese alguma, trabalhar, mesmo que seja sintomas leves.

Viagens nacionais e internacionais devem ser canceladas, Enquanto que aquelas consideradas essenciais devem passar por avaliação. Se possível, adie para outro momento ou busque uma solução digital para tratar este assunto.

Substitua reuniões físicas por videoconferências e flexibilize a escala de trabalho para evitar que os funcionários utilizem o transporte público em horário de pico.

4- Reduzir impactos

As empresas devem estudar sua operação para entender quais aspectos de sua atividade podem ser afetados pela epidemia e o que fazer para minimizar os efeitos. Por exemplo:

  • criar comitês de crise que dialoguem com todos os setores;
  • Identificar fornecedores alternativos para não interromper o funcionamento da empresa;
  • estar sempre monitorando a situação.

5- Planejar

As organizações devem traçar cenários possíveis e esboçar atitudes a serem adotadas, sempre pensando nas pessoas e na manutenção das suas operações.

Recomenda-se avaliar também as políticas para o eventual cancelamento das atividades fornecidas, como eventos e viagens programados para os próximos meses.

É importante ressaltar que qualquer atitude deve ser adotada com base nas recomendações das autoridades de saúde, mas é certo que se as ações sugeridas forem seguidos, funcionários e o negócio como um todo estará mais protegido.

Quais outras dicas de prevenção ao coronavírus nas empresas você gostaria de compartilhar conosco? Deixe um comentário.

Leia Também


Você sabe o que é cubagem e como calcular?

No Brasil existem diversos tipos de veículos de transportes de cargas, desde veículos urbanos (VUC), até caminhões de grande porte. Porém, para gerar mais proteção para os motoristas, pedestres e para as cargas, o CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) determinou a capacidade máxima que cada veículo pode transportar.  Essa limitação de peso, bem como o espaço físico disponível nos veículos, torna-se um dos grandes desafios das transportadoras na atualidade. Existem diversos casos em que há mercadorias volumosas e com pouco peso, e, aquelas que são menores, porém pesadas. Encontrar o “ponto ótimo” de carga da   frota é uma atividade muitas vezes complexa. Para auxiliar a encontrar este ponto ideal, podemos elucidar o processo de CUBAGEM das cargas. A cubagem é fundamental para identificar qual a capacidade disponível em um veículo e, ao mesmo tempo, quais são suas limitações em peso e volume.

O objetivo principal do processo de cubagem é conseguir planejar melhor a etapa de carregamento, considerando pontos essenciais para evitar que o veículo seja carregado com uma carga muito volumosa, mas de baixo peso ou que se tenha muitos volumes pequenos, mas muito pesados. Nestes casos, você estaria desperdiçando a capacidade de carga (peso) do veículo ou mesmo deixando de aproveitar um espaço (volume) considerável dentro dele.

Além disso, a cubagem é uma ferramenta muito importante para a composição do valor do frete. Um dos principais componentes de precificação é o peso da mercadoria. Porém, quando uma mercadoria for muito leve e ocupa um espaço muito grande, se o preço cobrado for somente através do peso, o valor do frete poderia não compensar para a transportadora, pois essa carga ocuparia um espaço onde  poderiam ser alocadas diversas outras mercadorias mais pesadas, e, consequentemente com maior valor de frete. Por isso, a cubagem é uma ferramenta muito importante para ajudar a resolver este tipo de problema, por exemplo. Através dela é possível converter o espaço ocupado por uma mercadoria em peso.

Mas como calcular a cubagem de cargas?
Para chegar no valor ideal da sua cubagem de cargas, é necessário realizar um cálculo matemático utilizando o “fator de cubagem”.

O “Fator de Cubagem” é o termo que denomina  um valor e que ao ser multiplicado pelo volume da carga, resulta no peso cubado – que é a transformação do espaço ocupado por uma mercadoria em kg.

 Ainda não ficou muito claro? Então vamos exemplificar:

Supondo que você queira determinar o fator de cubagem de uma carreta que tenha capacidade de 30 toneladas, com um baú de 100m³, o fator de cubagem se daria pela seguinte fórmula:

* Fator de Cubagem = Peso (kg) / Volume (m³)

No nosso exemplo, o Fator de Cubagem = 30.000 (kg) / 100(m³), resultando em 300kg por m³.

Ok, mas o que isso significa? Significa que cada m³ do seu caminhão equivale a 300kg.

Dessa forma, ao chegar uma mercadoria volumosa e leve, podemos converter o espaço que ela ocupa em peso.

Este fator de 300km/m³ é o padrão utilizado no transporte rodoviário de cargas.

Ainda confuso? Vamos para mais um exemplo então.

Mas antes disso, é importante definirmos um conceito fundamental: O cálculo do volume. O volume nada mais é do que a Largura (m) x Altura (m) x Comprimento (m). Sugiro inserir a imagem da caixa, para exemplificar. Conforme fizemos no post e e-mail).

Agora sim podemos ir para o nosso exemplo. Supondo que seja necessário transportar uma mercadoria que o peso na balança é de 400kg. Porém, ela tem as seguintes dimensões: 

  • Altura: 1m 
  • Largura 1m
  • Altura: 2m 

Como vimos anteriormente, o cálculo do volume se dará por 1m x1m x 2m, resultando em 2m³. 

Sabendo que cada m³ de espaço do seu caminhão equivale a 300kg, logo, chegamos à conclusão que essa carga teria um peso cubado de 600kg.

De forma matemática, podemos descrever o peso cubado como sendo:

Peso Cubado = Volume (m³) x Fator de Cubagem (kg/m³)

Observe que o peso cubado da mercadoria é maior do que o seu peso real. Porém, nem sempre isso irá ocorrer, como é o caso de caixas com papel.

* Um ponto de atenção é na observação das unidades de medida do volume. É necessário verificar se as unidades do peso (gramas, quilos ou toneladas) e das dimensões (centímetros ou metros) estão todas em conformidade antes do cálculo ser realizado. 

Vale lembrar que será possível empregar o fator de cubagem, tanto no transporte de carga lotação, quanto no transporte de carga fracionada. 

Financeiramente falando, a cubagem e o peso cubado são variáveis fundamentais no cálculo dos custos de transporte de uma empresa. O que determina a aplicação no cálculo do frete é o tipo de produto que será transportado. Para efeito da composição do frete, será utilizado o maior valor encontrado entre o Peso Real e o Peso cubado. Além disso, vale lembrar que cada modal possui um fator de cubagem diferente, dada a diferença da capacidade de carga de cada meio (rodoviário, aéreo, marítimo, etc). Os mais comuns no meio rodoviário são de 1m³ = 300kg.

A Picorelli Transportes está há 90 anos no mercado, sendo especializada no transporte de cargas fracionadas, urgentes e lotação. Possuímos uma frota diversificada, atendendo aos mais variados tipos de mercadorias.



2021 Picorelli Transportes. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a autorização escrita da Picorelli Transportes.