Como higienizar produtos para envio por transporte rodoviário

02/ 07/ 2020

O uso de máscaras e a limpeza das mãos não são as únicas medidas de prevenção contra a Covid-19, principalmente quando se fala nos cuidados que devem ser adotados para minimizar os riscos no transporte rodoviário.

Higienizar produtos que vão ser transportados também merece atenção. Isso porque superfícies e embalagens podem ser capazes de reter e transportar organismos contagiantes ou infecciosos, que podem contaminar uma pessoa.

Mas você sabe quais cuidados devem ser tomados para evitar a contaminação pelo vírus? Para solucionar a dúvida, preparamos o artigo de hoje. Acompanhe!

É possível contrair o coronavírus através de um pacote enviado?

Estudos recentes já comprovaram que o risco de contaminação com a doença por meio do contato com superfícies, embalagens e objetos é muito baixo, a não ser que uma pessoa toque, de forma imediata, no local que outra pessoa infectada encostou anteriormente e leve as mãos sujas aos olhos, bocas ou nariz.

As chances de contaminação são pequenas, pois o coronavírus não consegue se manter vivo por muito tempo fora de um hospedeiro. 

Para se manter vivo, o vírus necessita de uma combinação especial de condições ambientais, caracterizada pela falta de exposição aos raios UV, temperaturas e umidade específicas, fatores que não são facilmente alcançados no transporte rodoviário.

No entanto, a principal preocupação está ligada a outra combinação, que pode resultar em contaminação: pessoa contaminada-objeto-pessoa. 

Isto é, um indivíduo que estiver eliminando o vírus por meio de gotículas de saliva, tosse ou espirro pode contaminar um objeto ou superfície, que, por sua vez, pode infectar uma pessoa, quando ela entrar em contato com esse elemento, iniciando um ciclo de transmissão.

 Por isso, o uso de máscara e higienização das mãos são extremamente importantes!

No caso do transporte rodoviário, temos um exemplo simples: no momento da coleta de um pedido que será enviado, o agente que irá coletar, se não tiver adotado os cuidados necessários, pode se contaminar, caso o despachante estiver contaminado.

E, no caso da doença se manifestar de forma assintomática, o entregador pode infectar o consumidor final.

Por isso, a importância de seguir protocolo para a prevenção determinado pela Organização Mundial da Saúde(OMS).

Quanto tempo o coronavírus sobrevive em superfícies?

Pesquisas iniciais organizadas pela OMS mostraram que o coronavírus pode sobreviver da seguinte forma nas superfícies:

  • Cobre – 4 horas;
  • Papelão – 24 horas;
  • Madeira – 24 horas;
  • Tecido – 24 horas;
  • Vidro – 48 horas;
  • Plástico – 72 horas a 96 horas;
  • Aço inoxidável – 72 horas a 96 horas.

Por isso que é tão importante higienizar produtos para envio.

Como higienizar produtos para envio?

Bom, agora que você sabe que o coronavírus pode sobreviver por até 4 horas em alguns tipos de superfícies, é importante saber qual é a melhor maneira de higienizar produtos para envio.

Tenha em mente que é fundamental seguir as orientações de higiene pessoal. Antes de manusear a embalagem, sobretudo antes de entregá-la para o transportador, lave as mãos. 

Embalagens plásticas, metálicas, de papel ou isopor podem ser pulverizadas com álcool 70%. Mas tome cuidado para não afetar as informações de entrega.

Repita o processo de lavar as mãos e pulverização todas as vezes que for manusear o objeto. 

No momento de entregá-lo para o transportador,  utilize os equipamentos de proteção individual (EPI) e mantenha distância mínima de pelo menos 2 metros. Após a entrega, higienize as mãos novamente.

O transportador, por sua vez, deve seguir as medidas estipuladas para evitar o coronavírus durante o transporte da mercadoria. Aqui no blog temos vários artigos abordando o tema, inclusive um sobre como realizar entregas durante a pandemia

Entre as recomendações estipuladas estão: 

  • Não cumprimente pessoas com apertos de mão, abraços ou beijos. Mantenha sempre um metro de distância.
  • Cubra boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogue-o no lixo.
  • Faça a desinfecção de objetos e superfícies tocados com frequência, como celulares, maçanetas e corrimões. Também evite se apoiar ou tocar em lugares sem necessidade.
  • Evite contato e não fique próximo de quem está tossindo. Se possível, oriente a essa pessoa que use máscara.
  • O álcool em gel ou líquido 70% deve fazer parte do seu dia a dia. Higienize as mãos a cada 30 minutos ou sempre que tocar em algo.
  • Evite levar as mãos ao nariz, olhos e boca.
  • Sempre que der uma parada, lave bem as mãos com água e sabão. Esfregue bem entre os dedos e lave até os punhos.
  • Após usar o banheiro, lave bem as mãos, use papel-toalha ou o cotovelo para tocar na maçaneta e abrir a porta.
  • Higienize bem o volante, o câmbio, o freio de mão e o painel do seu caminhão.
  • Se possível, utilize talheres e pratos descartáveis ou tenha seus próprios utensílios para fazer refeições na estrada.
  • Nunca compartilhe suas toalhas, sejam elas de banho ou de rosto.
  • Além de cliente e entregador manterem uma distância de dois metros, devem usar álcool 70% nas mãos. 
  • O cliente deve ser orientado que depois de receber sua mercadoria deve jogar fora a embalagem fora e higienizar novamente as mãos.

Gostou de saber como higienizar produtos para envio durante a pandemia? Deixe um comentário para nós.

 

Leia Também


O que é B2B?

As expressões B2B e B2C determinam o tipo de cliente para o qual um produto ou serviço é destinado. No caso do B2B (Business to Business), as transações são feitas entre duas empresas. Ou seja, uma empresa que presta serviço ou vende algo para outra. Já o B2C (Business to Commerce) a venda é feita para o consumidor final, tendo como objetivo apenas o consumo. 

Para o modelo B2B pode-se definir como um negócio de empresa para empresa, em que uma é o fornecedor e a outra é o cliente. O principal fator que difere o que é B2B do modelo B2C está justamente no tipo de cliente que adquire o produto ou serviço. A escolha entre B2B ou B2C é de extrema importância, pois determina ainda quais serão as estratégias adotadas para estabelecer um relacionamento com os clientes e aumentar as vendas. 

Quando se trata do transporte, podemos encontrar algumas diferenças para as empresas que trabalham com um tipo de modelo ou com o outro. 

  • Os transportes em B2B geralmente ocorrem levando-se em consideração um certo nível de “urgência” para atendimento aos clientes. Isto ocorre devido a possibilidade da entrega do pedido dentro do prazo ser um requisito para que a produção do cliente não seja interrompida por falta de materiais. A modalidade business to business possui uma tendência para pedidos maiores no formato de lotação. Porém, entende-se também que o transporte de cargas fracionadas para o B2B possa ser uma modalidade interessante para que as empresas facilitem os processos de entregas, ainda mais com cargas que não ocupam todo espaço do veículo. Isso facilitará o sistema de distribuição de suas mercadorias de modo a reduzir os seus respectivos custos e mantendo-se toda a qualidade e segurança necessária. Vale lembrar que uma das mais relevantes vantagens do transporte de cargas fracionadas refere-se aos custos dos fretes nessa modalidade, que por sua vez, costumam ser mais em conta dado que os mesmos são divididos entre os clientes que estão sendo atendidos, diminuindo assim, os custos das operações.
  • Os transportes em B2C trabalham, na maioria das vezes, com cargas de pequeno porte e em maior número. Este fato torna possível o aproveitamento da melhor forma a capacidade da frota, destinando mais de um veículo para a realização das entregas. Dessa forma, os fretes podem ser diferenciados em fracionados ou enquadrados na modalidade lotação, ambos buscando a forma mais eficaz para a otimização da operação. 

Devido a estas diferenças, não podemos definir um modelo de transporte “único” que seja o ideal para cada um destes dois tipos de atendimento. No caso dos modelos B2B, em cada tipo de negócio existem particularidades relacionadas ao tipo de produto, atendimento, demanda, especificações técnicas e necessidade de reposição que deverão ser levados em consideração no momento da opção do tipo de transporte. Por sua vez, o modelo B2C, apesar de ter uma tendência para atuação com modelos de transportes fracionados, também poderá optar por transportes via lotação de acordo com as especificações do transporte a ser realizado.

A Picorelli Transportes possui foco no atendimento ao mercado B2B. Se sua empresa precisa de prazo e comprometimento, veja nossas cidades atendidas pelo nosso site e entre em contato! 

Fonte:

BSOFT, Confira o que é o modelo de distribuição B2B e suas especificações; Disponível em: https://bsoft.com.br/blog/distribuicao-b2b/Acesso em 02 de maio de 2021



2021 Picorelli Transportes. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a autorização escrita da Picorelli Transportes.