Como higienizar produtos para envio por transporte rodoviário

02/ 07/ 2020

O uso de máscaras e a limpeza das mãos não são as únicas medidas de prevenção contra a Covid-19, principalmente quando se fala nos cuidados que devem ser adotados para minimizar os riscos no transporte rodoviário.

Higienizar produtos que vão ser transportados também merece atenção. Isso porque superfícies e embalagens podem ser capazes de reter e transportar organismos contagiantes ou infecciosos, que podem contaminar uma pessoa.

Mas você sabe quais cuidados devem ser tomados para evitar a contaminação pelo vírus? Para solucionar a dúvida, preparamos o artigo de hoje. Acompanhe!

É possível contrair o coronavírus através de um pacote enviado?

Estudos recentes já comprovaram que o risco de contaminação com a doença por meio do contato com superfícies, embalagens e objetos é muito baixo, a não ser que uma pessoa toque, de forma imediata, no local que outra pessoa infectada encostou anteriormente e leve as mãos sujas aos olhos, bocas ou nariz.

As chances de contaminação são pequenas, pois o coronavírus não consegue se manter vivo por muito tempo fora de um hospedeiro. 

Para se manter vivo, o vírus necessita de uma combinação especial de condições ambientais, caracterizada pela falta de exposição aos raios UV, temperaturas e umidade específicas, fatores que não são facilmente alcançados no transporte rodoviário.

No entanto, a principal preocupação está ligada a outra combinação, que pode resultar em contaminação: pessoa contaminada-objeto-pessoa. 

Isto é, um indivíduo que estiver eliminando o vírus por meio de gotículas de saliva, tosse ou espirro pode contaminar um objeto ou superfície, que, por sua vez, pode infectar uma pessoa, quando ela entrar em contato com esse elemento, iniciando um ciclo de transmissão.

 Por isso, o uso de máscara e higienização das mãos são extremamente importantes!

No caso do transporte rodoviário, temos um exemplo simples: no momento da coleta de um pedido que será enviado, o agente que irá coletar, se não tiver adotado os cuidados necessários, pode se contaminar, caso o despachante estiver contaminado.

E, no caso da doença se manifestar de forma assintomática, o entregador pode infectar o consumidor final.

Por isso, a importância de seguir protocolo para a prevenção determinado pela Organização Mundial da Saúde(OMS).

Quanto tempo o coronavírus sobrevive em superfícies?

Pesquisas iniciais organizadas pela OMS mostraram que o coronavírus pode sobreviver da seguinte forma nas superfícies:

  • Cobre – 4 horas;
  • Papelão – 24 horas;
  • Madeira – 24 horas;
  • Tecido – 24 horas;
  • Vidro – 48 horas;
  • Plástico – 72 horas a 96 horas;
  • Aço inoxidável – 72 horas a 96 horas.

Por isso que é tão importante higienizar produtos para envio.

Como higienizar produtos para envio?

Bom, agora que você sabe que o coronavírus pode sobreviver por até 4 horas em alguns tipos de superfícies, é importante saber qual é a melhor maneira de higienizar produtos para envio.

Tenha em mente que é fundamental seguir as orientações de higiene pessoal. Antes de manusear a embalagem, sobretudo antes de entregá-la para o transportador, lave as mãos. 

Embalagens plásticas, metálicas, de papel ou isopor podem ser pulverizadas com álcool 70%. Mas tome cuidado para não afetar as informações de entrega.

Repita o processo de lavar as mãos e pulverização todas as vezes que for manusear o objeto. 

No momento de entregá-lo para o transportador,  utilize os equipamentos de proteção individual (EPI) e mantenha distância mínima de pelo menos 2 metros. Após a entrega, higienize as mãos novamente.

O transportador, por sua vez, deve seguir as medidas estipuladas para evitar o coronavírus durante o transporte da mercadoria. Aqui no blog temos vários artigos abordando o tema, inclusive um sobre como realizar entregas durante a pandemia

Entre as recomendações estipuladas estão: 

  • Não cumprimente pessoas com apertos de mão, abraços ou beijos. Mantenha sempre um metro de distância.
  • Cubra boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogue-o no lixo.
  • Faça a desinfecção de objetos e superfícies tocados com frequência, como celulares, maçanetas e corrimões. Também evite se apoiar ou tocar em lugares sem necessidade.
  • Evite contato e não fique próximo de quem está tossindo. Se possível, oriente a essa pessoa que use máscara.
  • O álcool em gel ou líquido 70% deve fazer parte do seu dia a dia. Higienize as mãos a cada 30 minutos ou sempre que tocar em algo.
  • Evite levar as mãos ao nariz, olhos e boca.
  • Sempre que der uma parada, lave bem as mãos com água e sabão. Esfregue bem entre os dedos e lave até os punhos.
  • Após usar o banheiro, lave bem as mãos, use papel-toalha ou o cotovelo para tocar na maçaneta e abrir a porta.
  • Higienize bem o volante, o câmbio, o freio de mão e o painel do seu caminhão.
  • Se possível, utilize talheres e pratos descartáveis ou tenha seus próprios utensílios para fazer refeições na estrada.
  • Nunca compartilhe suas toalhas, sejam elas de banho ou de rosto.
  • Além de cliente e entregador manterem uma distância de dois metros, devem usar álcool 70% nas mãos. 
  • O cliente deve ser orientado que depois de receber sua mercadoria deve jogar fora a embalagem fora e higienizar novamente as mãos.

Gostou de saber como higienizar produtos para envio durante a pandemia? Deixe um comentário para nós.

 

Leia Também


Você sabe o que é cubagem e como calcular?

No Brasil existem diversos tipos de veículos de transportes de cargas, desde veículos urbanos (VUC), até caminhões de grande porte. Porém, para gerar mais proteção para os motoristas, pedestres e para as cargas, o CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) determinou a capacidade máxima que cada veículo pode transportar.  Essa limitação de peso, bem como o espaço físico disponível nos veículos, torna-se um dos grandes desafios das transportadoras na atualidade. Existem diversos casos em que há mercadorias volumosas e com pouco peso, e, aquelas que são menores, porém pesadas. Encontrar o “ponto ótimo” de carga da   frota é uma atividade muitas vezes complexa. Para auxiliar a encontrar este ponto ideal, podemos elucidar o processo de CUBAGEM das cargas. A cubagem é fundamental para identificar qual a capacidade disponível em um veículo e, ao mesmo tempo, quais são suas limitações em peso e volume.

O objetivo principal do processo de cubagem é conseguir planejar melhor a etapa de carregamento, considerando pontos essenciais para evitar que o veículo seja carregado com uma carga muito volumosa, mas de baixo peso ou que se tenha muitos volumes pequenos, mas muito pesados. Nestes casos, você estaria desperdiçando a capacidade de carga (peso) do veículo ou mesmo deixando de aproveitar um espaço (volume) considerável dentro dele.

Além disso, a cubagem é uma ferramenta muito importante para a composição do valor do frete. Um dos principais componentes de precificação é o peso da mercadoria. Porém, quando uma mercadoria for muito leve e ocupa um espaço muito grande, se o preço cobrado for somente através do peso, o valor do frete poderia não compensar para a transportadora, pois essa carga ocuparia um espaço onde  poderiam ser alocadas diversas outras mercadorias mais pesadas, e, consequentemente com maior valor de frete. Por isso, a cubagem é uma ferramenta muito importante para ajudar a resolver este tipo de problema, por exemplo. Através dela é possível converter o espaço ocupado por uma mercadoria em peso.

Mas como calcular a cubagem de cargas?
Para chegar no valor ideal da sua cubagem de cargas, é necessário realizar um cálculo matemático utilizando o “fator de cubagem”.

O “Fator de Cubagem” é o termo que denomina  um valor e que ao ser multiplicado pelo volume da carga, resulta no peso cubado – que é a transformação do espaço ocupado por uma mercadoria em kg.

 Ainda não ficou muito claro? Então vamos exemplificar:

Supondo que você queira determinar o fator de cubagem de uma carreta que tenha capacidade de 30 toneladas, com um baú de 100m³, o fator de cubagem se daria pela seguinte fórmula:

* Fator de Cubagem = Peso (kg) / Volume (m³)

No nosso exemplo, o Fator de Cubagem = 30.000 (kg) / 100(m³), resultando em 300kg por m³.

Ok, mas o que isso significa? Significa que cada m³ do seu caminhão equivale a 300kg.

Dessa forma, ao chegar uma mercadoria volumosa e leve, podemos converter o espaço que ela ocupa em peso.

Este fator de 300km/m³ é o padrão utilizado no transporte rodoviário de cargas.

Ainda confuso? Vamos para mais um exemplo então.

Mas antes disso, é importante definirmos um conceito fundamental: O cálculo do volume. O volume nada mais é do que a Largura (m) x Altura (m) x Comprimento (m). Sugiro inserir a imagem da caixa, para exemplificar. Conforme fizemos no post e e-mail).

Agora sim podemos ir para o nosso exemplo. Supondo que seja necessário transportar uma mercadoria que o peso na balança é de 400kg. Porém, ela tem as seguintes dimensões: 

  • Altura: 1m 
  • Largura 1m
  • Altura: 2m 

Como vimos anteriormente, o cálculo do volume se dará por 1m x1m x 2m, resultando em 2m³. 

Sabendo que cada m³ de espaço do seu caminhão equivale a 300kg, logo, chegamos à conclusão que essa carga teria um peso cubado de 600kg.

De forma matemática, podemos descrever o peso cubado como sendo:

Peso Cubado = Volume (m³) x Fator de Cubagem (kg/m³)

Observe que o peso cubado da mercadoria é maior do que o seu peso real. Porém, nem sempre isso irá ocorrer, como é o caso de caixas com papel.

* Um ponto de atenção é na observação das unidades de medida do volume. É necessário verificar se as unidades do peso (gramas, quilos ou toneladas) e das dimensões (centímetros ou metros) estão todas em conformidade antes do cálculo ser realizado. 

Vale lembrar que será possível empregar o fator de cubagem, tanto no transporte de carga lotação, quanto no transporte de carga fracionada. 

Financeiramente falando, a cubagem e o peso cubado são variáveis fundamentais no cálculo dos custos de transporte de uma empresa. O que determina a aplicação no cálculo do frete é o tipo de produto que será transportado. Para efeito da composição do frete, será utilizado o maior valor encontrado entre o Peso Real e o Peso cubado. Além disso, vale lembrar que cada modal possui um fator de cubagem diferente, dada a diferença da capacidade de carga de cada meio (rodoviário, aéreo, marítimo, etc). Os mais comuns no meio rodoviário são de 1m³ = 300kg.

A Picorelli Transportes está há 90 anos no mercado, sendo especializada no transporte de cargas fracionadas, urgentes e lotação. Possuímos uma frota diversificada, atendendo aos mais variados tipos de mercadorias.



2021 Picorelli Transportes. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a autorização escrita da Picorelli Transportes.