Como escolher embalagem para transporte rodoviário

30/ 07/ 2020

A escolha de uma embalagem para transporte rodoviário pode resultar no sucesso ou no fracasso da operação. Até porque, será ela a responsável por proteger o produto durante sua movimentação até que chegue ao consumidor final.

Por isso, quando se ressalta a importância de escolher bem a embalagem, é fundamental levar em conta que durante o processo logístico, ela será carregada, armazenada em prateleiras, acomodada em pallets e nos diversos meios de transporte previstos no projeto da distribuição do produto.

Atualmente, é possível encontrar diversos tipos de embalagens, com formato, tamanho e composições diferentes. Mas com tantos tipos de embalagens logísticas à sua disposição, como saber qual você deve usar?

Para descobrir essa resposta, prossiga com a leitura!

Quais são as características da embalagem ideal?

Como já explicamos, a embalagem para transporte rodoviário tem a função de acondicionar, proteger, conservar, transportar e armazenar o produto

Por isso, não economize tempo ou dinheiro na hora de escolher. 

O produto tem mesmo que chegar intacto ao destino. Pois do contrário, o seu cliente, loja ou distribuidor, não vai aceitar embalagens amassadas e o produto danificado.

Evidentemente que a escolha de uma transportadora de confiança e com experiência no mercado reduz o risco de avarias na carga.

Mas para ser uma boa embalagem, podemos dizer que ela precisa reunir quatro competências: marketing, design, meio ambiente e logística:

  • Primeiramente, ser capaz de atrair e convencer o cliente acerca da qualidade e utilidade do produto e possuir um design condizente com o produto que apresenta;
  • seguir um padrão que não cause danos ao meio ambiente, sendo extremamente aconselhável que seja reciclável e contribua para um mundo mais sustentável;
  • ter características que facilitem sua movimentação e estocagem, para evitar avarias operacionais e perdas decorrentes da má operacionalidade e gestão.

Quais são os tipos de embalagens para transporte rodoviário?

Dentro da logística, a embalagem pode ser classificada em grupos. Conhecer o papel de cada um desses tipos facilita a escolha da embalagem para transporte rodoviario ideal para seus produtos.

Primária

Envolve diretamente o produto. É aquela que o cliente toca e que contém as informações sobre o item.

Podemos dizer, por exemplo, que o saco plástico de um açúcar que você vendeu se enquadraria como embalagem primária.

Secundária

Ela protege a primária. Na maioria das vezes, são embalagens maiores que usadas para armazenamento, transporte e manipulação manual.

No caso do açúcar citado acima, ela se equivale à caixa que acondiciona diversos pacotes de açúcar.

Terciária

A embalagem terciária tem como função agrupar diversas embalagens secundárias e prepará-las para o transporte.

Caixa de papelão, madeira ou plástico, são usadas no armazenamento, na movimentação manual e no transporte, pois agrupa um número maior de itens. 

Quaternária

Facilita o armazenamento e a movimentação ou até mesmo a transposição de um lugar a outro.

Quinto nível

Embalagem especial usada para armazenamento ou transporte em longas distâncias. Comum no transporte internacional de cargas e também com extensor de estoque.

Como escolher embalagem para transporte rodoviário?

Como você já viu, o transporte de cargas de maneira eficiente está associado à escolha da embalagem adequada para cada tipo de produto e meio de transporte utilizado na entrega para o cliente. 

A escolha é uma decisão estratégica que impacta diretamente nos resultados do setor. Por isso, tome cuidados e evite erros, pois podem trazer consequências financeiras para você.

Confira a seguir o que você deve observar ao escolher embalagem para transporte rodoviário.

1. Escolha a embalagem adequada para o produto

Existem mercadorias que vão exigir embalagens diferenciadas. Neste caso, você deve atentar às características de cada uma delas.

Por exemplo, no caso da embalagens para transporte rodoviário de alimentos e medicamentos, é preciso assegurar que, além de uma boa apresentação, elas sejam práticas, resistentes e protejam a saúde do consumidor.

2.Aposte em embalagens que ajudam o meio ambiente

Qual é o impacto ambiental que será causado pelo material escolhido? Essa é uma questão importante a ser pensada no momento de escolher embalagens para transporte rodoviário.

Afinal, cada vez mais nos preocupamos com o desenvolvimento sustentável e a preservação do ambiente, sendo necessário que cada empresa conheça o seu papel no processo de proteção.

3.Os custos das embalagens também são importantes

É essencial analisar as opções de embalagens disponíveis para que se possa comparar o custo e o benefício de cada uma delas.

Afinal, se você optar por uma embalagem mais cara, pode ser necessário repassar algum ao cliente, ocasionando o aumento do preço do produto.

4. Verifique se o tamanho do volume está compatível com o seu produto

A dimensão das mercadorias interfere diretamente no valor do frete. Portanto, ao acondicionar uma mercadoria pequena, em um volume muito grande, o valor a ser pago no transporte poderá ser mais elevado do que o necessário.

Fique atento!

Cuidados ao embalar uma mercadoria

Além da escolha da embalagem correta, você também deve ter atenção no momento de embalar o produto. 

Para facilitar esse processo, é só você seguir as dicas abaixo. Confira:

  • As mercadorias transportadas devem ter peso e dimensões compatíveis com os veículos da transportadora escolhida para realizar o frete;
  • Certifique-se de que a embalagem esteja etiquetada com identificação do remetente (nome – local), destinatário (nome – local), Nº de Nota Fiscal ou Nº de Pedido e informações adicionais como fragilidades das mercadorias;
  • Certifique-se de que a embalagem contenha informações sobre a posição adequada para acomodar o volume e sobre o fator de empilhamento (se o volume pode ser empilhado e qual deve ser o limite de volumes por pilha);
  • Utilizando embalagens convencionais, o peso máximo por volume não deve passar de 150 kg, caso algum volume ultrapasse esse peso deve ser embalado em caixa ou engradado de madeira.

Agora você sabe que a embalagem para transporte é parte fundamental para o sucesso da logística e do transporte de cargas, aliado, logicamente, à contratação de uma transportadora de confiança.

Para saber mais sobre  embalagem para transporte rodoviário e outras boas práticas de transporte de carga, visite nosso blog!

Leia Também


O que é B2B?

As expressões B2B e B2C determinam o tipo de cliente para o qual um produto ou serviço é destinado. No caso do B2B (Business to Business), as transações são feitas entre duas empresas. Ou seja, uma empresa que presta serviço ou vende algo para outra. Já o B2C (Business to Commerce) a venda é feita para o consumidor final, tendo como objetivo apenas o consumo. 

Para o modelo B2B pode-se definir como um negócio de empresa para empresa, em que uma é o fornecedor e a outra é o cliente. O principal fator que difere o que é B2B do modelo B2C está justamente no tipo de cliente que adquire o produto ou serviço. A escolha entre B2B ou B2C é de extrema importância, pois determina ainda quais serão as estratégias adotadas para estabelecer um relacionamento com os clientes e aumentar as vendas. 

Quando se trata do transporte, podemos encontrar algumas diferenças para as empresas que trabalham com um tipo de modelo ou com o outro. 

  • Os transportes em B2B geralmente ocorrem levando-se em consideração um certo nível de “urgência” para atendimento aos clientes. Isto ocorre devido a possibilidade da entrega do pedido dentro do prazo ser um requisito para que a produção do cliente não seja interrompida por falta de materiais. A modalidade business to business possui uma tendência para pedidos maiores no formato de lotação. Porém, entende-se também que o transporte de cargas fracionadas para o B2B possa ser uma modalidade interessante para que as empresas facilitem os processos de entregas, ainda mais com cargas que não ocupam todo espaço do veículo. Isso facilitará o sistema de distribuição de suas mercadorias de modo a reduzir os seus respectivos custos e mantendo-se toda a qualidade e segurança necessária. Vale lembrar que uma das mais relevantes vantagens do transporte de cargas fracionadas refere-se aos custos dos fretes nessa modalidade, que por sua vez, costumam ser mais em conta dado que os mesmos são divididos entre os clientes que estão sendo atendidos, diminuindo assim, os custos das operações.
  • Os transportes em B2C trabalham, na maioria das vezes, com cargas de pequeno porte e em maior número. Este fato torna possível o aproveitamento da melhor forma a capacidade da frota, destinando mais de um veículo para a realização das entregas. Dessa forma, os fretes podem ser diferenciados em fracionados ou enquadrados na modalidade lotação, ambos buscando a forma mais eficaz para a otimização da operação. 

Devido a estas diferenças, não podemos definir um modelo de transporte “único” que seja o ideal para cada um destes dois tipos de atendimento. No caso dos modelos B2B, em cada tipo de negócio existem particularidades relacionadas ao tipo de produto, atendimento, demanda, especificações técnicas e necessidade de reposição que deverão ser levados em consideração no momento da opção do tipo de transporte. Por sua vez, o modelo B2C, apesar de ter uma tendência para atuação com modelos de transportes fracionados, também poderá optar por transportes via lotação de acordo com as especificações do transporte a ser realizado.

A Picorelli Transportes possui foco no atendimento ao mercado B2B. Se sua empresa precisa de prazo e comprometimento, veja nossas cidades atendidas pelo nosso site e entre em contato! 

Fonte:

BSOFT, Confira o que é o modelo de distribuição B2B e suas especificações; Disponível em: https://bsoft.com.br/blog/distribuicao-b2b/Acesso em 02 de maio de 2021



2021 Picorelli Transportes. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a autorização escrita da Picorelli Transportes.