Gestão de Itens MRO

17/ 06/ 2021

Você sabe o que é Gestão de Itens MRO? 

A classificação MRO é dada para tudo aquilo que está indiretamente relacionado ao produto ou serviço e que são de extrema importância para o bom funcionamento de todos os processos necessários para a indústria. Ou seja, aquilo que não é matéria prima para a produção, pode ser classificado como MRO. A sigla, portanto, está relacionada à: Manutenção, Reparo e Operação. 

E por que a gestão de itens MRO é importante?

Para as empresas, mesmo as de médio e pequeno porte, muitos materiais são fundamentais para a entrega do seu serviço ou produto, como ferramentas e utensílios de auxílio. Quanto maior a empresa, maior o número de itens MRO. E quanto maior o controle sobre eles, menores são os custos relacionados às perdas desses materiais. Ou seja, um bom planejamento e controle podem gerar a diminuição estratégica de custos/desperdícios. 

Além de tudo, a boa gestão auxilia na otimização de vários processos internos logísticos relacionados à entrega – que está diretamente ligado à produtividade e agilidade. Assim, a gestão eficaz pode maximizar vantagens competitivas dentro do mercado em que a empresa está inserida. 

Os itens de MRO podem variar entre itens de baixo e alto valor agregado. Entenda a classificação dos mesmos: 

  • Manutenção: Aqui estão inseridos os materiais presentes na rotina de manutenção da fábrica em si, como ferramentas para o melhor aproveitamento das máquinas e, até mesmo, itens de limpeza para o bom funcionamento da indústria.  
  • Reparos: Nesta categoria temos ferramentas, parafusos, soldas, além de muitos outros itens.
  • Operação: Essa categoria contém itens essenciais para o funcionamento da operação em si, como EPIs, itens de medição, testes, ferramentas para ajustes de produtos e de uso constante pela operação. Esses itens, estão indispensavelmente presentes no dia a dia da produção. 
  • A alta exigência pela qual as máquinas passam gera possibilidade de problemas mecânicos. Ter um estoque organizado e de prontidão ajuda a reduzir o tempo de equipamentos parados e evitar perdas no volume de produção.

         Mesmo não estando ligados diretamente ao produto ou serviço, os itens MRO são fundamentais para a operação e entrega final dos produtos. Quando uma máquina pára de funcionar, ela pode interromper por horas uma produção. Com uma Gestão de MRO eficaz, é possível encontrar de forma fácil e rápida os instrumentos necessários para o reparo, fazendo com que a pausa da produção seja menor, acarretando em menores perdas. 

Quando a rotina de manutenção não acontece, devido à falta de clareza e facilidade de acessos aos itens necessários, o prejuízo a longo prazo de uma máquina quebrada pode ser muito grande. A causa pode ser pela simples falta de gestão dos utensílios utilizados no processo. 

A ausência desses itens muitas vezes precisa ser suprida de forma rápida, quando ela prejudica o andamento da produção. Nós da Picorelli Transportes atuamos também com cargas de itens MRO , de forma segura e ágil. Em casos de imprevistos e urgência, conseguimos auxiliar com o transporte rápido e eficaz. Entre em contato e solicite uma tabela.

Fontes: 

ESALES, Gestão de MRO; 

Disponível em: https://esales.com.br/blog/gestao-de-mro/ ; Acesso em: 03 de Maio de 2021

MANUSIS, Gestão de Estoque de Peças MRO, características e desafios do setor;

 Disponível em: https://manusis4.com/gestao-de-estoque-de-pecas-mro-caracteristicas-e-desafios-do-setor-2/; Acesso em: 03 de Maio de 2021

Leia Também


O que é B2B?

As expressões B2B e B2C determinam o tipo de cliente para o qual um produto ou serviço é destinado. No caso do B2B (Business to Business), as transações são feitas entre duas empresas. Ou seja, uma empresa que presta serviço ou vende algo para outra. Já o B2C (Business to Commerce) a venda é feita para o consumidor final, tendo como objetivo apenas o consumo. 

Para o modelo B2B pode-se definir como um negócio de empresa para empresa, em que uma é o fornecedor e a outra é o cliente. O principal fator que difere o que é B2B do modelo B2C está justamente no tipo de cliente que adquire o produto ou serviço. A escolha entre B2B ou B2C é de extrema importância, pois determina ainda quais serão as estratégias adotadas para estabelecer um relacionamento com os clientes e aumentar as vendas. 

Quando se trata do transporte, podemos encontrar algumas diferenças para as empresas que trabalham com um tipo de modelo ou com o outro. 

  • Os transportes em B2B geralmente ocorrem levando-se em consideração um certo nível de “urgência” para atendimento aos clientes. Isto ocorre devido a possibilidade da entrega do pedido dentro do prazo ser um requisito para que a produção do cliente não seja interrompida por falta de materiais. A modalidade business to business possui uma tendência para pedidos maiores no formato de lotação. Porém, entende-se também que o transporte de cargas fracionadas para o B2B possa ser uma modalidade interessante para que as empresas facilitem os processos de entregas, ainda mais com cargas que não ocupam todo espaço do veículo. Isso facilitará o sistema de distribuição de suas mercadorias de modo a reduzir os seus respectivos custos e mantendo-se toda a qualidade e segurança necessária. Vale lembrar que uma das mais relevantes vantagens do transporte de cargas fracionadas refere-se aos custos dos fretes nessa modalidade, que por sua vez, costumam ser mais em conta dado que os mesmos são divididos entre os clientes que estão sendo atendidos, diminuindo assim, os custos das operações.
  • Os transportes em B2C trabalham, na maioria das vezes, com cargas de pequeno porte e em maior número. Este fato torna possível o aproveitamento da melhor forma a capacidade da frota, destinando mais de um veículo para a realização das entregas. Dessa forma, os fretes podem ser diferenciados em fracionados ou enquadrados na modalidade lotação, ambos buscando a forma mais eficaz para a otimização da operação. 

Devido a estas diferenças, não podemos definir um modelo de transporte “único” que seja o ideal para cada um destes dois tipos de atendimento. No caso dos modelos B2B, em cada tipo de negócio existem particularidades relacionadas ao tipo de produto, atendimento, demanda, especificações técnicas e necessidade de reposição que deverão ser levados em consideração no momento da opção do tipo de transporte. Por sua vez, o modelo B2C, apesar de ter uma tendência para atuação com modelos de transportes fracionados, também poderá optar por transportes via lotação de acordo com as especificações do transporte a ser realizado.

A Picorelli Transportes possui foco no atendimento ao mercado B2B. Se sua empresa precisa de prazo e comprometimento, veja nossas cidades atendidas pelo nosso site e entre em contato! 

Fonte:

BSOFT, Confira o que é o modelo de distribuição B2B e suas especificações; Disponível em: https://bsoft.com.br/blog/distribuicao-b2b/Acesso em 02 de maio de 2021



2021 Picorelli Transportes. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a autorização escrita da Picorelli Transportes.