Scania anuncia investimentos no Brasil

23/ 05/ 2019

Aporte previsto é de R$ 1,4 bi no período de 2021 a 2024 para atualização de tecnologias na fábrica em São Bernardo do Campo e projetos relacionados a combustíveis alternativos

A Scania, recebeu em sua fábrica a visita do Governador de São Paulo, João Doria (PSDB) e anunciou que pretende investir R$ 1,4 bilhão para o período de 2021 a 2024.

Em 2016, a Scania iniciou o ciclo de investimento de R$ 2,6 bilhões na sua operação industrial em São Bernardo do Campo (SP) para ser concluído até 2020. O recurso teve como principal objetivo adaptar as fábricas para a maior mudança de linha de montagem já realizada em toda sua história e, com isso, a introdução de uma nova geração de caminhões para a América Latina. Agora, a fabricante anuncia o destino do restante do investimento. O valor será direcionado para modernização da fábrica.

“Nosso ritmo de investimento tem sido de R$ 100 milhões/ano, mas agora, para atender as necessidades das novas tendências ligadas ao mundo do transporte, precisamos elevar esse patamar.” diz Christopher Podgorski, presidente e CEO da Scania Latin America.

O foco é o combustível alternativo, especificamente veículos movidos a gás.

“A produção de caminhões a gás em nossa planta, planejada para 2020, exemplifica o que reconhecemos como um investimento sustentável, ou seja, bom para os negócios e sociedade, e ao mesmo tempo de menor impacto para o meio ambiente”, completa.

Outros investimentos

Com os objetivos de ampliar e concentrar as instalações destinadas às equipes de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e melhorar sua logística fabril, a Scania prevê investir R$ 75 milhões em alterações no Plano Diretor da unidade de produção.

Hoje a fábrica em São Bernardo do Campo abriga um departamento de P&D com 250 engenheiros atuando em paralelo com a matriz na Suécia.

 

Leia Também


O que é B2B?

As expressões B2B e B2C determinam o tipo de cliente para o qual um produto ou serviço é destinado. No caso do B2B (Business to Business), as transações são feitas entre duas empresas. Ou seja, uma empresa que presta serviço ou vende algo para outra. Já o B2C (Business to Commerce) a venda é feita para o consumidor final, tendo como objetivo apenas o consumo. 

Para o modelo B2B pode-se definir como um negócio de empresa para empresa, em que uma é o fornecedor e a outra é o cliente. O principal fator que difere o que é B2B do modelo B2C está justamente no tipo de cliente que adquire o produto ou serviço. A escolha entre B2B ou B2C é de extrema importância, pois determina ainda quais serão as estratégias adotadas para estabelecer um relacionamento com os clientes e aumentar as vendas. 

Quando se trata do transporte, podemos encontrar algumas diferenças para as empresas que trabalham com um tipo de modelo ou com o outro. 

  • Os transportes em B2B geralmente ocorrem levando-se em consideração um certo nível de “urgência” para atendimento aos clientes. Isto ocorre devido a possibilidade da entrega do pedido dentro do prazo ser um requisito para que a produção do cliente não seja interrompida por falta de materiais. A modalidade business to business possui uma tendência para pedidos maiores no formato de lotação. Porém, entende-se também que o transporte de cargas fracionadas para o B2B possa ser uma modalidade interessante para que as empresas facilitem os processos de entregas, ainda mais com cargas que não ocupam todo espaço do veículo. Isso facilitará o sistema de distribuição de suas mercadorias de modo a reduzir os seus respectivos custos e mantendo-se toda a qualidade e segurança necessária. Vale lembrar que uma das mais relevantes vantagens do transporte de cargas fracionadas refere-se aos custos dos fretes nessa modalidade, que por sua vez, costumam ser mais em conta dado que os mesmos são divididos entre os clientes que estão sendo atendidos, diminuindo assim, os custos das operações.
  • Os transportes em B2C trabalham, na maioria das vezes, com cargas de pequeno porte e em maior número. Este fato torna possível o aproveitamento da melhor forma a capacidade da frota, destinando mais de um veículo para a realização das entregas. Dessa forma, os fretes podem ser diferenciados em fracionados ou enquadrados na modalidade lotação, ambos buscando a forma mais eficaz para a otimização da operação. 

Devido a estas diferenças, não podemos definir um modelo de transporte “único” que seja o ideal para cada um destes dois tipos de atendimento. No caso dos modelos B2B, em cada tipo de negócio existem particularidades relacionadas ao tipo de produto, atendimento, demanda, especificações técnicas e necessidade de reposição que deverão ser levados em consideração no momento da opção do tipo de transporte. Por sua vez, o modelo B2C, apesar de ter uma tendência para atuação com modelos de transportes fracionados, também poderá optar por transportes via lotação de acordo com as especificações do transporte a ser realizado.

A Picorelli Transportes possui foco no atendimento ao mercado B2B. Se sua empresa precisa de prazo e comprometimento, veja nossas cidades atendidas pelo nosso site e entre em contato! 

Fonte:

BSOFT, Confira o que é o modelo de distribuição B2B e suas especificações; Disponível em: https://bsoft.com.br/blog/distribuicao-b2b/Acesso em 02 de maio de 2021



2021 Picorelli Transportes. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a autorização escrita da Picorelli Transportes.